24/01/2012

Pense Imóveis reúne dicas para você manter os mosquitos longe de sua casa no verão

Pense Imóveis reúne dicas para você manter os mosquitos longe de sua casa no verão

Fonte: Revista do ZAP

Bióloga e entomologista ensinam o que vale a pena para ficar longe dos insetos. Confira também uma receita ecológica para sobreviver à temporada

São poucas as pessoas que não reclamam da presença dos indesejáveis mosquitos nos dias de verão. Esses insetos parecem estar por toda a parte nessa época de altas temperaturas e chuvas frequentes. Para ajudar você a sobreviver a esse período, sem ficar se coçando ou ficar com o corpo marcado por picadas, o Pense Imóveis conversou com uma bióloga e um entomologista e reuniu algumas dicas.

Conheça seu “inimigo”
Antes de qualquer coisa, é preciso diferenciar os tipos de mosquito. Nessa época do ano acelera-se o desenvolvimento dos dois mosquitos mais urbanos do mundo, o Culex (mosquito doméstico) e o Aedes aegypti (mosquito da dengue). O primeiro prefere a madrugada, coloca seus ovos em água suja e não deixa ninguém dormir direito com o seu zumbido. O segundo é muito ágil, se reproduz em água limpa, ataca em plena luz do dia e é responsável por transmitir a dengue.

O entomólogo da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Rafael Freitas destaca que, quando se fala no mosquito da dengue, o ideal acabar com os criadouros, para matar de vez o mosquito. Outras medidas (como usar repelente, acender vela de citronela, colocar telas nas portas e janelas de casa) podem funcionar, mas apenas para afastar os mosquitos. Não são soluções permanentes.

Citronela
De acordo com o entomólogo, a citronela, muito usada como repelente na forma de velas ou associada a inseticidas, funciona. Ele, entretanto, destaca que “a vela de citronela funciona como repelente. Ela não mata o mosquito, só repele.” Fique atento que a área de atuação da vela de citronela é apenas o ambiente em que ela está acesa. Ela não terá como funcionar na casa toda. Se a vela está na sala, por exemplo, vai repelir os mosquitos apenas daquele local e não de outros ambientes da casa.

Repelentes: de duas em duas horas
Segundo Rafael Freitas, os repelentes são como a citronela, apenas afastam os mosquitos. “O repelente só funciona no espaço físico do corpo e não dura o dia todo. Tem que ficar repassando de duas em duas horas”, afirma ele, ressaltando que os repelentes não podem ser passados no corpo a toda hora, pois prejudicam a pele.

Telas e ar-condicionado
Colocar telas em portas e janelas de casa também é uma alternativa para afastar os mosquitos, mas, mais uma vez, não acaba com os mosquitos, apenas os repele. “Usar o ar-condicionado também espanta o mosquito”, afirma Freitas. Temperaturas mais baixas inibem o inseto, deixando-o com mais dificuldade de encontrar sua “vítima”. Ao desligar o aparelho, o bichinho pode voltar em outro momento, quando o ar estiver desligado.

Armadilha ecológica
Seguindo essa linha de soluções “temporárias” contra os mosquitos, o Pense Imóveis dá a receita de uma armadilha para matar esses insetos de forma ecologicamente correta e sem usar produtos químicos. Para fazer essa armadilha, você vai precisar de água quente, açúcar mascavo, levedura (fermento biológico de pão), cartolina e uma garrafa pet. Confira a receita completa.

Mosquitos e o verão
O calor e chuva típicos do verão criam condições favoráveis à proliferação de mosquitos. “A ocorrência do aumento de mosquitos nessa época se da pelo fato de os verões serem chuvosos e quentes, acelerando o ciclo natural destes insetos”, esclarece a bióloga Fabiana Soares.

Fabiana explica que o habitat dos mosquitos está intimamente ligado às condições domiciliares e ao modo de vida das populações humanas. “Boa parte das populações dos países pobres vive em áreas onde o serviço de saneamento básico é deficitário, resultando em acúmulo de lixões e no armazenamento de água em recipientes artificiais, que servem de criadouros”, diz ela.

O tipo e a qualidade dos reservatórios de água, segundo a bióloga, influenciam o ciclo aquático dos mosquitos. “Eles se reproduzem em águas limpas, embora possam se adaptar às novas situações impostas pelo homem, adaptando-se a outros tipos de criadouros, como por exemplo, bromélias e esgotos a céu aberto”, completa ela.

Divulgação
















Mosquito comum


Segundo informações da prefeitura de Porto Alegre, o mosquito doméstico mais comum na capital gaúcha é o do gênero Culex, que se reproduz em águas poluídas. O Culex é marrom ou em tons pardos, diferente do transmissor da dengue, o Aedes aegypti, que é preto com listras brancas pelo corpo.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Porto Alegre divulgou algumas medidas básicas para combater os mosquitos. É preciso a adoção de precauções de proteção individuais como em casa. “Além do uso de repelentes como forma de prevenção do problema, deve-se instalar telas e mosquiteiros nas janelas e varadas”, aconselha a coordenadora do programa de combate à Dengue da prefeitura de Porto Alegre, Maria Mercedes Bendati.

De acordo com a secretaria da Saúde da capital gaúcha, os inseticidas não são a arma mais indicada a combater os mosquitos, pois eles ajudam esses insetos a ganhar resistência. A melhor saída é evitar que os mosquitos entrem nas casas, o que pode ser feito mediante a colocação de telas em portas e janelas.

Dengue
Não é só o mosquito comum que se prolifera mais no verão, o mosquito da dengue (Aedes aegypti) também. A alta temperatura e as chuvas que aumentam o número de locais com água parada facilitam o desenvolvimento dos ovos do inseto.  “A temperatura alta acelera o metabolismo do mosquito, faz com que a larva que está na água se desenvolva mais rápido”, afirma Rafael Freitas.Divulgação
















Mosquito da dengue


O aumento da pluviosidade tem influência maior ainda no ciclo do mosquito da dengue do que no do mosquito comum. “Os ovos do Aedes aegypti não ficam diretamente na água. Eles ficam em local próximo à água, como uma parede. Eles podem ficar lá parados por até um ano. Aí vem as chuvas de verão e ovos de diferentes momentos acabam eclodindo ao mesmo tempo”, explica Freitas.

Receitas caseiras
Rafael Freitas destaca que é preciso ter cuidado com as receitas caseiras que circulam por aí garantindo acabar com o mosquito da dengue. “Existem lendas de que várias coisas funcionam”, diz ele. Entre essas “lendas” estão: comer alho, cebola e tomar vitamina C. “Imagina a quantidade de alho que você tem que comer para exalar um cheiro suficiente para espantar e matar um mosquito”, brinca Freitas.

Freitas ressalta que o ideal é que a acabar com os criadouros do mosquito da dengue, por meio da adoção de certos hábitos dentro de casa. “Casa um deve olhar na sua residência. Dedicar 10 minutos por semana para acabar com os criadouros de dengue já é suficiente”, afirma ele. Isso porque o ciclo de vida do Aedes aegypti leva de 7 a 10 dias, do ovo até a fase adulta.

Divulgação

















Não deixar água parada é um dos hábitos que devem ser adotados. Tampar caixas d”água, desentupir calhas, colocar telas em privadas e ralos pouco usados tirar água das bandejas do ar-condicionado e dos pratinhos de vasos de planta devem fazer parte da rotina das pessoas. Esses locais acumulam água parada, tornando-se os locais preferidos do mosquito da dengue para depositar os ovos.

Ajuda profissional
Quem quiser pode contratar um serviço profissional para dedetizar a casa. O ideal é que a desinsetização, processo para eliminar mosquitos, aranhas, formigas, baratas, seja feita de seis em seis meses. A pulverização dos produtos – que podem ser em pó, líquido ou gel, entre outros – é feita nas paredes e nas áreas externas.

Divulgação

















A desinsetização exige que os moradores fiquem fora da casa por pelo menos seis horas após a aplicação, isso pensando em um adulto que não tenha alergias. Para alérgicos, crianças e animais, o prazo é de 24 horas. Após a dedetização é importante lavar todos os utensílios de cozinha e fazer a limpeza de móveis e eletrônicos.

Vale lembrar que a dedetização serve para matar as pragas e impedir sua reprodução, mas os produtos não impedem a entrada dos insetos. É importante que se faça um trabalho de prevenção depois da dedetização como colocar telas em janelas e portas e selar o exaustor da cozinha.


Leia mais:
>> Livre de mosquitos! Dedetize sua casa
>> Aprenda a fazer uma armadilha ecológica para acabar com os mosquitos
>> Como combater as pragas domésticas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.