02/04/2003

Perdizes: morada das aves

Fonte: Editoria Zap

Confira algumas curiosidades que fazem parte da história desse bairro


Zap o especialista em imóveis Perdizes fazia parte do velho sítio do Pacaembu, área concedida por Martin Afonso de Sousa à companhia de Jesus no século XVI. Depois, as terras foram confiscadas dos jesuítas, desmembradas e vendidas, originando várias chácaras e fazendas. O “Campo das Perdizes” era uma dessas chácaras, localizada na estrada para Campinas. Chegou a ser chamado de “deserto Campo das Perdizes” em razão de suas terras incultas e abandonadas.

Em meados do século XVIII, Perdizes era um subúrbio distante e pobre na zona rural. Esparsas casinhas de pau-a-pique povoavam as terras, concedidas de acordo com a vontade do Juiz de Paz, Xavier de Toledo. Assim, os campos que até então atraíam apenas caçadores de aves, passaram atrair mais moradores.

Em 1863, a região de cerrados era chamada de Campo Comprido, mas a denominação Campos das Perdizes já era popular. A abundância desse tipo de ave na região originou o nome do bairro. Em 1807, uma lei passou a proibir terminantemente a caça da ave e a venda de seus ovos na cidade. Anos depois, um vereador propôs multa e prisão para os caçadores e vendedores dos galináceos, a fim de preservar a fauna.

Em 1924, 40 anos depois do loteamento original, as principais ruas de Perdizes já tinham traçado definitivo. Mesmo que as áreas entre os vales dos ribeirões Pacaembu e Água Branca possibilitassem o aumento da população, houve muito espaço até 1930.

Na segunda etapa do desenvolvimento, novas ruas foram abertas dentro dos limites geográficos da região. A verticalização aconteceu na década de 1980 e evitou a deterioração da área, que hoje vive um momento de valorização imobiliária.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.