10/12/2006

Pesquisa mais recente é sobre tintas imobiliárias

Fonte: O Estado de S. Paulo

Dados são abertos à consulta e incluem as listas de empresas com produtos adequados e das que mostram histórico de não conformidade

Um recente relatório elaborado no âmbito do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQ-H), ligado ao Ministério das Cidades, relativo a produtos de fabricantes de tintas imobiliárias é uma poderosa ferramenta de escolha para o consumidor.

O documento mostra claramente quais as empresas que vendem produtos em conformidade com as normas técnicas e outra lista daquelas empresas (participantes ou não do programa), cujas marcas de tintas látex econômica tenham histórico de inconformidade em um ou mais requisitos de desempenho definidos em norma técnica específica.

Para a consulta, basta clicar no endereço www.cidades.gov.br/plajbqp-h/index.htm, e depois no item “Materiais avaliados” e em seguida em “Tintas Imobiliárias”. As duas listas vão aparecer a qualquer interessado que as pesquise, porque o acesso é aberto a todos.

Este relatório é na realidade o 28.º já elaborado dentro do PBQ-H e no próprio site o interessado pode acessar a lista dos outros 27 setores já avaliados (entre eles, lajes pré-fabricadas, tubos de PVC, blocos cerâmicos, argamassa colante).

Hoje já existe no site uma gama enorme de setores com resultados completos sobre as análises de conformidade com as normas técnicas e as listas das empresas nas duas situações.

As auditorias feitas pelos programas não são avisadas e consistem na avaliação das unidades fabris das empresas participantes ou em credenciamento no programa para a coleta de amostras dos produtos, cujos exames duram dois meses.

Os resultados das auditorias realizadas nos fabricantes e da coleta de amostras nas revendas e nos usuários finais são consolidadas trimestralmente nos Relatórios Setoriais, todos publicados no site.

Cada setor da construção tem pesquisa realizada por uma entidade representante. No caso das tintas, desde novembro de 2002 tem sido elaborado pela Associação Brasileira dos Fabricantes de Tintas o Programa Setorial da Qualidade de Tintas Imobiliárias.

O programa tem por objetivo elaborar mecanismos específicos que garantam que as tintas imobiliárias, colocadas à disposição dos usuários da construção civil, apresentem desempenho satisfatório atendendo às necessidades dos usuários e não prejudicando a isonomia competitiva entre os fabricantes das tintas imobiliárias colocadas à disposição

O mais recente relatório desse programa do setor de tintas é o divulgado no final do mês passado. A empresa responsável pela gestão técnica é a Tecnologia de Sistemas em Engenharia (Tesis).

Conforme Vera Hachich, da Tesis, foram analisados os três tipos de tintas mais empregados em qualquer tipo de edificação (oportunamente, serão analisados outros tipos): tintas látex econômicas; massas niveladoras; e esmaltes sintéticos standard.

Vera explica que o usuário leigo não deve ter produtos não conformes disponíveis para aquisição, “uma vez que a não conformidade é originada da sub-utilização de materiais e redução de dimensões ou volume ou peso, gerando uma diferença de custo de produção expressiva”.

Essa característica, ressalta Vera, possibilita a inserção no mercado a preços muito inferiores aos produtos conformes.

Entre os requisitos que os produtos devem cumprir, estão: determinação do poder de cobertura de tinta seca; e de tinta úmida; determinação da absorção de água de massa niveladora; e determinação de brilho, entre outros.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.