31/03/2007

Piso: madeira de demolição ou mármore?

Fonte: Jornal da Tarde

Produtos são tendência do mercado; veja qual se enquadra melhor no seu gosto e no seu bolso

DivulgaçãoAmbiente de estar com piso de mármore travertino romano bruto e paredes com seixos rolados

Uma dúvida recorrente na cabeça dos consumidores dispostos a investir em acabamento rústico é quanto ao material que deve ser utilizado no piso: mármore ou madeira de demolição?

Vista como a ‘menina dos olhos’ dos arquitetos, a madeira de demolição é classificada como uma das tendências do mercado. Por ser uma madeira centenária, seca e bem trabalhada, ela também é considerada resistente e de boa durabilidade.

O preço do produto varia conforme o tipo de madeira (peroba e canela são as mais apropriadas para pisos), o tratamento e a largura. Segundo levantamento feito junto à loja Lavoro e Arte, localizada em Pinheiros, na Zona Oeste, o valor médio é de R$ 300 o m², instalado e com o acabamento em cera especial.

Uma das vantagens da madeira de demolição é a sua variação de acabamento. Ela pode ser clareada, esbranquiçada, escurecida, ebanizada, natural, lisa, mais ou menos rústica, de acordo com o gosto e o projeto escolhido pelo consumidor.

Por ser ainda um material reciclável, não agride a natureza, o seu manuseio requer uma mão-de-obra qualificada, que não é fácil de se encontrar no mercado. “Os restauradores é quem cuidam do tratamento da madeira. O trabalho é deixar uma madeira velha com aspecto bem acabado e aparência nobre, apesar da rusticidade”, explica a vendedora da Lavoro e Arte, Sandra Alves.

Para a vice-presidente da Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura (Asbea), Betty Birger, a crescente preocupação com o meio ambiente tem alavancado a procura e a utilização da madeira de demolição. “Essa procura pelos elementos da natureza tem a ver com a preocupação do mundo com a sustentabilidade, com o fato de não agredir a natureza. Por conta disso, tem-se usado muito a madeira de demolição.”

Mármore

Disponível no mercado há anos, o mármore ainda é um material bastante procurado por dar um aspecto rústico à casa, porém sofisticado ao mesmo tempo. A vice-presidente da Asbea cita como exemplo o piso de travertino romano bruto, que até hoje embelezam as ruas de Gênova, na Itália. “Esse material é importado e por ter auto-brilho não precisa ser polido”, explica Betty.

Ela conta ainda que o mármore pode ser utilizado tanto dentro quanto fora de casa. “Ele é cheio de buracos e dá um efeito rústico muito legal.” Uma das desvantagens dele, porém, é o custo um pouco mais alto do que os outros produtos rústicos, no caso do travertino romano. O m² custa em média R$ 350 e pode variar de acordo com o tamanho, a cor e o acabamento .

De qualquer modo, arquitetos e especialistas opinam que, se for avaliado o custo e o benefício, vale a pena desembolsar um pouco mais pelos produtos. “Em muitos casos, gasta-se menos com o acabamento rústico do que com o moderno. Mas, de qualquer forma, eles trazem mais aconchego para o lar”, completa a arquiteta Paula Weberman.

Leia também

É “bruto”, mas requer carinho

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.