23/12/2006

Piso refratário é mais confortável

Fonte: Jornal da Tarde

Os cuidados com a piscina não se resumem à qualidade da água e à boa construção para impedir vazamentos. O piso que será usado ao lado do tanque deve ser antiderrapante e, de preferência, atérmico, para garantir a segurança e o conforto dos banhistas.

O piso refratário trazido para o Brasil em 1997 pela arquiteta Ana Cristina preenche esses requisitos e atualmente é um dos mais indicados por especialistas para dar acabamento ao chão das piscinas construídas em clubes e residências.

“Conheci o material na Espanha e encontrei a solução para os meus problemas. Na piscina que eu tinha em casa, meus filhos não podiam andar descalços no piso de madeira, que esquentava demais”, lembra a presidente da Solarium Pisos e Revestimentos.

Mais caro do que os materiais convencionais, o mármore costuma ser utilizado para dar um toque mais sofisticado ao piso das piscinas. Ana Cristina critica esse tipo de cobertura. “Quer coisa mais escorregadia do que mármore?”, questiona a especialista.

A dica da arquiteta e empresária é aumentar, sempre que possível, a área protegida pelos pisos. “Quanto maior ela for, melhor para a conservação da piscina, para colocar móveis para o descanso. Para quem não tem um terreno muito grande, cerca de dois metros de acabamento já é suficiente.”

Para conservar o Solarium, a recomendação é não usar produtos ácidos. Depois do assentamento de peças, deve ser aplicado um hidrofugante. Isso impede que as peças absorvam líquidos por até seis horas.
A limpeza pode ser feita apenas com água e sabão. “Se alguém deixar cair vinho no chão, por exemplo, o piso não vai manchar”, assegura a arquiteta.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.