01/02/2007

Planejamento financeiro é fundamental

Fonte: Editoria Zap

Dicas para organizar suas finanças e conquistar seu novo imóvel

O primeiro passo para quem sonha adquirir um imóvel e não dispõe do valor para pagamento à vista é realizar um planejamento financeiro, organizando o orçamento familiar para conseguir economizar e acumular o valor necessário para a entrada e o pagamento das prestações do financiamento.

Para começar é preciso identificar em quanto tempo vai precisar ou deseja estar morando nele. Para quem paga aluguel, geralmente vale à pena acumular somente o suficiente para a entrada e financiar o restante do valor do imóvel; já quem não tem pressa, pode procurar acumular um valor maior.

De qualquer forma, é preciso ter bastante disciplina para poupar e manter a regularidade nas aplicações para aumentar os recursos na velocidade programada, por isso, muitas vezes assumir o financiamento é também um modo de instituir o compromisso com a realização de um projeto de vida.

Confira algumas dicas para fazer sua poupança:

Quanto preciso poupar para a entrada?
É importante realizar uma completa pesquisa de mercado para conhecer o perfil do imóvel desejado, verificando a relação entre suas características, a entrada exigida, o valor total, do financiamento e das prestações.

A exigência de entrada normalmente fica em torno de 30% a 40% do valor do imóvel.

Para empreendimentos em construção, o critério é o mesmo, a diferença é que esta porcentagem pode ser parcelada em prestações durante a construção do imóvel mas, de qualquer forma, você só vai receber as chaves depois de quitá-la.

Por quanto tempo preciso poupar?
Depois de determinar a reserva financeira que precisará para a entrada, você pode começar a planejar a poupar este valor e fazer uma estimativa de quantos meses levará para guardá-lo. Primeiro imagine um certo período de anos ao final dos quais você gostaria de ter 100% do valor da reserva necessária. Divida o valor total da reserva pelo número de meses contidos neste período de anos, e você terá uma primeira estimativa de quanto precisará economizar e investir todo mês para concretizar seu sonho.

O investimento mensal lhe parece muito alto?
Faça um ajuste em duas pontas, trazendo o imóvel desejado para mais perto da realidade ou esticando o prazo da poupança. Desta forma, você chegará a um valor de investimento mensal que caiba no seu orçamento.

Onde investir suas reservas?
Mesmo quando a rentabilidade mensal de um investimento parecer muito modesta, lembre-se que ao longo dos meses e anos, computando os juros sobre juros dos rendimentos, a aplicação financeira representará uma força extra no processo de reunir os recursos para a compra do seu imóvel.

A escolha da aplicação depende sempre do perfil do investidor, mas é recomendável que quem está poupando com o objetivo de comprar um imóvel dentro de determinado prazo dê preferência aos investimentos de risco menor. Opções como caderneta de poupança, fundos DI ou de renda fixa são ideais para quem está começando a investir e procura segurança, pois não exigem aplicações iniciais altas e apresentam baixo risco, o que possibilita uma programação mais precisa do tempo necessário para obter os recursos financeiros desejados.

Como exemplo, observe quanto é preciso poupar por mês para obter uma reserva de R$ 30.000 (com esta entrada você poderá adquirir um imóvel com valor em torno de R$100.000) conforme o período e o rendimento da aplicação:

 

R$ 30.000 Poupando    por 3 anos Poupando        por 5 anos

Rendimento de 0,5% ao mês

R$ 762/mês     R$ 429/mês
Rendimento de 1% ao mês R$ 696/mês R$ 367/mês

 

*considerando uma aplicação com rendimento de 0,5% ao mês na poupança e um investimento que renda 1% ao mês em moeda constante.

Fonte: Tibério Incorp. e Construções S.A.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.