04/03/2009

Plano reúne três presidenciáveis e ganha vários pais

Fonte: O Estado de S. Paulo

Na opinião do governador de Minas Ferais, Aécio Neves, governo deveria transferir o dinheiro para as companhias de habitação

Brasília – O pacote da habitação nem ficou pronto e já virou alvo de disputa política. Discutidas ontem por três presidenciáveis – a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, o governador de São Paulo, José Serra, e o governador de Minas Gerais, Aécio Neves – mais os governadores do Paraná, Roberto Requião, e do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, as medidas de grande apelo popular deverão ter vários “pais”.

Aécio disse haver proposto que, em vez de lançar um programa que privilegie a construção de casas populares a partir de financiamentos da Caixa a incorporadoras, o governo deveria transferir o dinheiro para as companhias de habitação (Cohabs) estaduais. “Naturalmente, passará a ser um programa partilhado”, comentou. “Não há preocupação com paternidade.”

O tucano disse que o governo federal deveria optar pela descentralização, porém, foi desmentido pelo governador do Paraná, Roberto Requião. “A ministra Dilma propôs um financiamento a ser executado pelos Estados”, afirmou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.