09/02/2008

Por um lar mais sustentável

Fonte: Jornal da Tarde

Casas sustentáveis são tendência na construção. Mais acessíveis, geram economia aos moradores

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisFotos da casa projetada por Fernando Pinheiro. As amplas janelas ajudam na iluminação natural

Morar em uma casa sustentável não é mais um sonho distante, restrito aos mais alternativos ou longe das grandes concentrações urbanas. 

A arquitetura sustentável já está presente em muitas casas, edifícios comerciais e até em grandes lançamentos imobiliários no País. “A casa sustentável é a que procura produzir o mínimo de impacto ao meio ambiente e fazer uso racional das matérias primas e dos recursos naturais”, explica o arquiteto Artur Rozestraten, idealizador do núcleo de sustentabilidade projeto Casa Viva.

Na prática, o conceito significa redução do consumo de energia e água da casa, uso de materiais certificados, reciclados ou de demolição, uso de material menos poluente
durante a construção, como pré-moldados, e separação
do lixo.

Parece muito, mas ninguém precisa transformar a casa toda
ao mesmo tempo. Além disso, a maioria dos mecanismos que tornam a casa mais sustentável são relativamente simples de serem implementados, como é o caso de uma troca de torneira para reduzir o consumo de água ou a separação do lixo.

Quem já abraçou a sustentabilidade garante que é um caminho
sem volta. “Além de gerar economia, a construção sustentável vai se valorizar. Ou seja, os imóveis sustentáveis terão maior valor de venda e revenda, em poucos anos”, diz Alexandre Melão, da Esfera, construtora de edifícios residenciais
sustentáveis.

Divulgação Zap o especialista em imóveisPiso utiliza madeira de demolição

O preço de uma casa sustentável, apesar de acessível, ainda não é o mesmo da construção tradicional (é um pouco mais caro). Mas os especialistas garantem que o preço da implementação de alguns sistemas é rapidamente pago com a economia de manutenção que gera. “Um sistema de
aquecimento solar, por exemplo, se instalado em boas condições de orientação das placas, pode ser pago, pela economia que gera, em apenas um ano de uso”, explica o arquiteto Fernando Pinheiro, da Lima Pinheiro Arquitetos, que
acabou de finalizar o projeto de uma casa sustentável (veja as fotos acima).

Mas a regra do preço ligeiramente mais caro não vale para tudo. Pinheiro conseguiu revestir 200 m2 de área com madeira de demolição e gastou R$ 300 para a área toda. “Compramos um lote de peroba rosa, madeira nobre, que seria usado como combustível para forno de padaria. Pagamos o frete e montamos uma pequena marcenaria para cortar o piso”, conta.

O arquiteto Artur Rozestraten também projetou um casa sustentável como preço de R$900 o m2. “O preço é acessível e não abrimos mão do conforto e da beleza”, conclui.

A casa verde (ou green building)
De forma simplificada, são cinco características para uma
construção ser considerada uma casa verde, ou green building
(selo dado por entidade americana). Para ter o selo, no
entanto, é preciso se habilitar e passar por uma análise:

Qualidade ambiental 
– Qualidade e segurança para quem vai construir e para quem
vai morar ou trabalhar no empreendimento.Um exemplo é
o uso de materiais não tóxicos.

Utilização racional da água 
– Usar a água o mínimo necessário para as necessidades
das pessoas, o que pode ser feito com temporizadores nas
torneiras, sanitários com válvula de duplo fluxo, reúso de água,
captação de água da chuva, entre outros. Para o paisagismo,
escolha de plantas nativas e que consomem menos água.

Eficiência energética 
– Redução do consumo de energia elétrica tanto pelo uso de
placas de aquecimento solar com projeto de iluminação
eficiente e uso adequado da luz natural e ventilação (pode evitar o uso do ar-condicionado). Projeto depende do local da casa (região e insolação).

Uso de materiais sustentáveis 
– Madeira só certificada, material de demolição, material
pré-moldado e material produzido na região da obra, para
não haver deslocamento.

Sustentabilidade do espaço 
– Separação do lixo, redução da produção do lixo, tratamento de esgoto na própria construção

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.