30/07/2008

Porta inteligente

Fonte: Globo online

Projetada por brasileiros é premiada em concurso internacional

Zap o especialista em imóveisMaxDoor: porta projetada por brasileiros é premiada nos EUA

RIO – Que tal uma porta sem maçanetas, sem chaves, com sensor eletrônico de tranca e destranca, sinalizadores que indicam se você a esqueceu aberta e música digital na campainha? Você ainda pode escolher a trilha sonora que deverá tocar à sua porta. Moderno, não?

Pois é… Esta tal porta existe. A MaxDoor foi criada, sob encomenda, pelo estúdio brasileiro NóDesign e premiada, em julho, quando ganhou o bronze no International Design Excellence Awards 2008(Idea), nos Estados Unidos, na categoria “Produtos para a casa”.

Leando Masselieri Cardoso, um dos designers responsáveis pelo projeto, conta que a porta foi concebida para oferecer diversas funcionalidades. A porta abre por controle remoto e trava automaticamente a partir de um sensor eletrônico. E tem um “”””passa-cartas”””” em forma de escotilha:
– Basta clicar no ícone “”””cartas”””” na porta, que é aberto um compartimento para colocar a correspondência, assim o porteiro não precisará deixar os jornais e revistas no chão. Somente quem está no interior do apartamento tem acesso aos objetos – detalha Cardoso.

Zap o especialista em imóveisMaxdoor, em ambiente criado pela cineasta e VJ Marina Person

A estrutura da porta é feita em aço; a soleira em alumínio anodizado e chapas frontais em policarbonato injetado, o mesmo material usado em blindagem. O acabamento tem toque emborrachado. Nos dois lados da porta existem luzes indicativas que avisam se ela está trancada ou não. A campainha funciona com som personalizado em formato MP3. Ao pressionar a campainha é enviado um sinal wireless até a caixa de som.

Também foi desenvolvido um visor, que não aparece na parte da frente da porta, pois fica atrás de uma lente de vidro fumê, seguindo a mesma tonalidade da porta. Tem aproximadamente 20 centímetros de largura e altura. Além disso, a porta possui isolamento acústico, devido seu batente ser todo em borracha; na parte inferior, há uma guilhotina que desce quando a porta se fecha, bloqueando o vão. Na MaxDoor, até a identificação é diferente, bolas vermelhas identificam o último número do apartamento.

O designer da MaxDoor destaca que o projeto procura atender às necessidades atuais com novas soluções:
– Em casos, de queda de energia, a porta conta com bateria interna, permitindo que fique sem alimentação de força por uma semana. Há ainda uma abertura de emergência, pois a porta é equipada com um sistema mecânico de abertura rápida para quem está dentro do apartamento – conta Leonardo Cardoso.

Zap o especialista em imóveisControle da Maxdoor que abre e tranca a porta

Já para quem está de fora, existe uma possibilidade de proprietário abrir o apartamento com uma chave de emergência. A MaxDoor foi concebida para integrar um novo empreendimento imobiliário personalizado de São Paulo, o MaxHaus, onde um apartamento de quarto e sala custa em média R$ 200 mil e cada morador escolhe a configuração da sua unidade. Estão previstas no cronograma da companhia duas torres no Jardim Anália Franco e duas torres na Mooca, na Zona Leste da capital paulista; quatro torres no Morumbi e cinco torres em Santo Amaro, na Zona Sul; três torres na Vila Leopoldina e cinco torres em Alphaville, na Zona Oeste.

Uma das unidades da MaxHaus, no Jardim Anália Franco, foi decorada pela cineasta e VJ da MTV Marina Person, que adorou a idéia de ter em suas mãos algo tão moderno e funcional. Ela delimitou o quarto com uma parede retrátil que corre pelo espaço. Marina optou a colocar sofá-chaise, televisão suspensa, mesa de jantar roxa, escrivaninha francesa com cadeira de acrílico e closet com cômoda prateada.
– A MaxDoor é incrível. Bonita e super futurista, segura. Algo meio do século XXII, com todo sistema eletrônico, é ideal para quem gosta de tecnologias avançadas – avalia Marina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.