30/10/2008

Poupança vai garantir crédito

Fonte: Jornal da Tarde

Governo divulga medidas de proteção ao setor de construção. Caixa criará um fundo para o socorro

O governo anunciou ontem a criação de uma nova linha de financiamento do capital de giro das empresas de construção civil para conter o desaquecimento do setor. Os recursos virão da liberação de 5% dos depósitos da caderneta de poupança e poderão atingir R$ 11 bilhões, dos quais a Caixa Econômica Federal já antecipou que oferecerá R$ 3 bilhões para cobrir custos de construção e compra de carteira de recebíveis das empresas.

A linha oferecida pela Caixa terá garantia especial do governo, por meio de retenção de dividendos, e será oferecida às empresas a uma taxa de 10% a 11% ao ano, mais variação da Taxa Referencial (TR), hoje em torno de 1,38% ao ano. Assim, as empresas com dificuldades em manter obras em andamento poderão tomar dinheiro emprestado a um custo anual de 11,4% a 12,4%.

“Tudo está sendo feito a taxa de juros de mercado”, disse o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa. O argumento é que os recursos da poupança são captados hoje a uma taxa de cerca de 7% ao ano. Se a Caixa cobrar 12% ainda terá cerca de 5% ao ano de lucro.

A presidente da Caixa, Maria Fernanda Coelho, explicou que a linha será dividida em duas: uma cobrirá até 20% do custo de construção, outra até 70% das carteiras de recebíveis, que são compostas pelos créditos que as empresas têm a receber dos compradores de imóvel.

Atualmente, 65% dos depósitos de poupança devem ser usados em financiamento de crédito imobiliário. A medida permitirá que 5% dos 65% financiem as construtoras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.