21/06/2010

Preço de imóvel não para de subir em SP

Fonte: Estado de S. Paulo

Quem está procurando imóvel para comprar em São Paulo sabe que os valores estão amargos. A dúvida é: esperar os preços baixarem ou comprar antes que subam mais? Especialistas são unânimes na recomendação da compra imediata e alertam: quem esperar poderá pagar valores mais altos. Os “culpados” pelo avanço nos preços são a falta de … Continue lendo “Preço de imóvel não para de subir em SP”

(Foto: Divulgação)
Apesar do aumento do valor, quem esperar para comprar poderá pagar valores mais altos (Foto: Divulgação)

Quem está procurando imóvel para comprar em São Paulo sabe que os valores estão amargos. A dúvida é: esperar os preços baixarem ou comprar antes que subam mais? Especialistas são unânimes na recomendação da compra imediata e alertam: quem esperar poderá pagar valores mais altos.

Os “culpados” pelo avanço nos preços são a falta de grandes terrenos disponíveis – até as regiões que antes eram menosprezadas estão valorizadas – e a forte demanda da população, que está com salários mais altos e tem crédito cada vez mais fácil .

Para se ter uma ideia do tamanho dessa demanda, de janeiro a março, foram vendidos, só na cidade de São Paulo, 8.461 imóveis novos, além de outros 4.676 usados. Trata-se de um crescimento de cerca de 2% sobre o trimestre anterior. E as projeções do setor para as vendas são tão elevadas quanto os números obtidos no período passado.

“Por pelo menos mais cinco anos, a demanda vai continuar nesse ritmo e, pelo mesmo período, o preço dos imóveis continuará no embalo de forte alta”, afirma Denise Labate Vasconcellos, professora do Mackenzie e especialista em mercado imobiliário.

Apesar dos preços elevados, especialistas salientam que nunca antes na história do País o crédito imobiliário esteve tão acessível à população. “Então, é preciso aproveitar também essa situação, caso não se tenha o valor necessário para efetuar a compra à vista”, comenta Silvio Paixão, professor da Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras (Fipecafi).

A Caixa é, com larga folga, a líder na concessão de crédito imobiliário, com mais de 90% do total de financiamentos fechados nos últimos 12 meses, segundo dados do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis de São Paulo (Creci-SP).

Por meio de comunicado, o banco estatal informa que foram “ampliados prazos para até 30 anos, cotas de financiamento de até 90% (do valor do imóvel) e, em alguns casos, até 100%”.

Para o presidente do Creci-SP, Augusto Viana, os imóveis usados podem ser melhor negócio para quem procura preços mais baixos e imóveis com metragem maior. “Nos usados, é possível negociar o preço, nos novos, não. Além disso, os antigos são bem mais espaçosos que os novos.”

LEIA MAIS:

INDÚSTRIA E VAREJO DE CONSTRUÇÃO INVESTEM

PREÇOS DE IMÓVEIS NOVOS DISPARAM, COM ALTA DE 42% EM UM ANO EM SP

FINANCIAMENTO A IMÓVEIS USADOS INFLA RESULTADO DO PAC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.