06/11/2012

Preço do metro quadrado registra menor alta da história, aponta FipeZap

Fonte: ZAP Imóveis

Segundo o Índice FipeZap, a variação em outubro cresceu apenas 0,8%, o menor valor já registrado pela série

Ainda influenciados pela grande oferta de imóveis que se encontra no mercado, seja pelos lançamentos ou estoques, os preços do metro quadrado continuam a sofrer poucos reajustes.

Segundo o Índice FipeZap, que acompanha o preço médio do metro quadrado de imóveis em seis municípios do País e no Distrito Federal, a variação em outubro cresceu apenas 0,8%, o menor valor já registrado pela série (iniciada em setembro de 2010).

Na média, o valor do metro quadrado ficou em R$ 6.920 no décimo mês do ano. A cidade do Rio de Janeiro foi, novamente, a que mais contribuiu para esta marca ao continuar com a condição do m² anunciado mais caro do país, com R$ 8.452, pouco acima dos R$ 8.358 registrados em setembro.

A cidade do Rio de Janeiro foi, novamente, a líder entre as capitais com o m² anunciado mais caro do país, com R$ 8.452 (Foto: Banco de Imagens/Think Stock)

Já Brasília também manteve o posto de segunda capital com maior valor anunciado do m² no período, com R$ 8.056, em média. A marca atingida, no entanto, representou queda de 1,1% em relação ao mês anterior.

A maior desaceleração entre as sete regiões pesquisadas foi em São Paulo, onde os preços subiram 1,1%, ante 1,5% no mês anterior. Rio de Janeiro e Recife (1,1%), Belo Horizonte (1,0%) e Salvador (0,4%) foram as demais regiões com aumento nos preços. Em doze meses, o aumento acumulado nas sete regiões caiu para 14,4%.

Bairros – Em São Paulo, os imóveis mais caros estão localizados nos bairros do Ibirapuera e Vila Nova Conceição, zona sul da capital, com média de R$ 11.123 por m², enquanto a região da Cidade Antônio Estêvão de Carvalho (zona leste) permaneceu com os preços mais acessíveis: R$ 2.670.

Já no Rio, o bairro mais valorizado continuou sendo o Leblon (o metro quadrado custa R$ 19.140), pouco acima de Ipanema (com R$ 17.228). Em contrapartida, a região do Anchieta contou, mais uma vez, com o menor custo: R$ 1.100.

4 Comentários

  1. Dentro de poucos meses os imóveis chega ao valor real no Pais e quem comprou na ancia de ganhos altos vai ter uma grande perda financeira.

  2. O mercado imobiliario esta aquecido derivado a entrada de muitas divisas de capital estrangeiro e crise economica na Comunidade Europeia,crise politica na Asia e as Commodestes tambem estão em alta e o aumento das populaçoes nos grandes e a falta de mão de obra especializada na construção civil fazem aumentar o preço no mercado att

  3. boa noite sou corretor de imoveis em sobral ceara gaucho de farroupilha estou na cidade desde 1999 bons negocios por aqui mas nunca deixo de ter interece na região sul quando tiver alguma oprtunidade de negocios terrei o praser em fazer parcerias tenho alguns clientes aqui intereçados em investir no rio de janeiro

  4. Está em curso uma manipulação de mercado, visando aumento de preços dos imóveis.Algo muito importante ñ está sendo lembrado, vejam no site dos bancos , só financiam grandes e médias empresas, na prática quase sempre grandonas e estrangeiras, tivemos uma invasão de imobiliárias,incorporadoras e construtoras gringas nos últimos anos.E as pequenas construtoras onde ficam? fora do mercado, a quebra da cadeia produtiva de imóveis. Assim fica estabelecido um tipo de oligopólio para as grandes, que manipulam o mercado, levando os preços para as alturas, c/ 100% de lucro, alem de que o mesmo não é reinvestido no país, é levado quase todo para as matrizes fora do Brasil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.