04/01/2018

Preço dos imóveis fecha o ano de 2017 em queda

Essa é a primeira retração em 10 anos

Fonte: ZAP em Casa

Segundo dados divulgados pelo Índice FipeZAP, os preços das imóveis residenciais, fechou 2017 com uma queda nominal de 0,53%, isso sem considerar a inflação. Ainda segundos os números, esse foi o primeiro ano de retração, desde quando o indicador começou a ser medido.

Baixe o App de Faça Você Mesmo do ZAP em Casa

+ Siga nosso perfil no Pinterest

Se levar em consideração a inflação esperada para o ano passado, IPCA de 2,78%, de acordo com o último Boletim Focus, o metro quadrado nas 20 cidades pesquisadas teve uma queda real de 3,33% em 2017.

Das cidades que são avaliadas, 13 tiveram uma queda nominal no preço anunciado para venda em 2017. O maior recuo foi no Rio de Janeiro ( – 4,45%), seguida de Niterói ( – 3,43%), Fortaleza ( – 3,35%) e Distrito Federal ( – 2,27%).

Rio de Janeiro
(Foto: Shutterstock)

Já Belo Horizonte, mostrou a maior valorização nos preços no ano passado ( + 4,47%), seguida de Florianópolis ( + 4,34%), essas foram as únicas cidades que mostraram aumento acima da inflação.

O valor médio para venda dos imóveis residenciais fechou o ano valendo R$ 7.631 por m². Rio de Janeiro continua como a cidade mais cara do Brasil, com o m² valendo R$ 9.811, em seguida bem São Paulo (R$ 8.745) e Distrito Federal (R$ 8.238). As cidades com o menor valor médio o m² foram Contagem-MG (R$ 3.521), Goiânia (R$ 4.137) e Vila Velha – ES (R$ 4.638).

(Foto: Felipe do Vale)

+ Preço de locação residencial tem sexta queda consecutiva em novembro

+ Preço dos imóveis tem leve alta entre outubro e novembro

+ Preço de locação residencial mostra quinto recuo consecutivo

+ FipeZAP aponta estabilidade no preço médio de venda dos imóveis

+ Preços dos imóveis comerciais terminam o primeiro semestre em queda

+ Preço de locação de imóveis termina primeiro semestre em queda

+ Preço médio de venda de imóveis mostra novo recuo

+ Imóveis comerciais tem novo recuo em maio

+ Preço médio para locação de imóveis mantém estabilidade em maio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.