09/10/2012

Prédio histórico abandonado no centro de Florianópolis vai passar por vistoria

Prédio histórico abandonado no centro de Florianópolis vai passar por vistoria

Fonte: Revista do ZAP

Imóvel abrigou Câmara e Cadeia, mas hoje serve para moradores de rua e usuários de drogas

O prédio da antiga Casa de Câmara e Cadeia de Florianópolis, no Centro da Capital, é um dos cinco mapeados pelo Ministério Público de Santa Catarina para uma vistoria que deve ocorrer dentro de 10 dias. Com isso, o MP em colaboração com a Polícia Militar e Secretaria do Desenvolvimento Urbano dará continuidade a uma ação que pretende impedir que imóveis sejam ocupados por usuários de crack.

Flávio Neves / Agência RBS

Desde 2007 interditado pelo próprio Ministério Público por má conservação e falta de acessibilidade, o imóvel de posse da prefeitura está abandonado.

“Com a visita poderemos ver o real abandono de um prédio que é patrimônio não apenas público, mas histórico”, diz o promotor Daniel Paladino, da 30ª promotoria da Capital. Dependendo do que for visto, o município deve ser chamado a assinar um Termo de Ajuste de Conduta (TAC). Providências como limpeza e fechamento total são as providências pedidas, como ocorreu em uma vistoria semelhante, realizada em março, em 10 prédios particulares.

Meses atrás, o prédio da antiga Casa de Câmara recebeu um tapume de cerca de três metros. A parte de baixo foi grafitada. Também foi coberto por desenhos e fotografias do projeto de restauração, paralisado desde 2010 depois de denúncias de irregularidades. Numa das pontas, de frente para a Praça XV, existe uma abertura. É por ali que os os usuários de drogas entram.

O acesso é fácil. Permanecer ali, difícil. O chão está tomado por fezes. Roupas sujas e latas adaptadas como cachimbo para o uso de crack sobram nos cantos. Os buracos das escavações arqueológicas deixadas pelos técnicos recebem todo o tipo de material, como sacolas plásticas, roupas velhas, alimentos. Um total de 712 peças arqueológicas foram retiradas do local e encaminhados para o Laboratório de Arqueologia da Unisul.

A ideia é que no futuro exista o Museu de História da Cidade. Construído entre os anos de 1771 e 1780, o prédio serviu para a antiga Câmara de Vereadores, além dos poderes Executivo e Judiciário. Foi também cadeia. Até 2005 abrigou a Câmara de Vereadores. Serviu ainda como Casa do Papai Noel e Museu do Carnaval. Em 2007, o local foi interditado por deterioração do telhado, paredes e assoalho.

Em 2010 começaram as obras de restauração. Prefeitura de Florianópolis e o Instituto DiverSCidades, responsável pela execução do projeto de R$ 25 milhões, foi interrompido pelas denúncias de irregularidades que envolveram Cristina Maria Piazza, na época diretora de Planejamento do IPUF. O prazo da obra, entre setembro de 2010 e agosto de 2011. No IPUF não existem informações sobre a retomada do projeto.

Leia mais:
>> Veja imóveis à venda em Florianópolis
>> Anuncie o seu imóvel no Pense Imóveis

Tags: Urbanismo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.