11/01/2010

Prefeitura do Rio removerá 119 favelas

Fonte: O Globo online

A Secretaria municipal de Habitação já relacionou 119 favelas que serão removidas integralmente pela prefeitura até o fim de 2012, por estarem em locais de risco de deslizamento ou inundação, de proteção ambiental ou destinados a logradouros públicos. Com pelo menos 12.196 domicílios, essas comunidades ocupam 2,34 milhões de metros quadrados – uma área maior do que o bairro do Leblon. O secretário Jorge Bittar informou que trechos não urbanizáveis de outras favelas, que ainda estão sendo levantados, também serão desocupados.

Entre as favelas que vão desaparecer estão a do Horto (Jardim Botânico), a Indiana (Tijuca), a da CCPL (Benfica), a do Metrô (Maracanã), a Vila Autódromo (Barra) e a Vila Taboinhas (Vargem Grande). É o caso também da pequena Matinha, num trecho de floresta atrás do Ciep Ayrton Senna e na vizinhança da Rocinha.

Para agilizar o processo, em um mês a secretaria lançará licitação visando a contratar uma empresa para fazer o cadastramento das famílias e as avaliações dos imóveis.

“Precisaremos ter um batalhão de gente trabalhando nas favelas. Serão cerca de 200 profissionais, incluindo assistentes sociais e técnicos em edificações”, explica Bittar.

“Ninguém vai receber dinheiro vivo em troca dos imóveis que serão removidos”.

Bittar estima um orçamento de R$ 244 milhões para reassentar as 12.196 famílias dessas comunidades. Os recursos são para indenizações, através dos programas Compra Assistida e Aluguel Social (este até que a família compre um imóvel, pelo programa Minha Casa Minha Vida, do governo federal).

“Ninguém vai receber dinheiro vivo em troca dos imóveis que serão removidos. Ou as famílias serão inscritas no Minha Casa Minha Vida ou faremos Compra Assistida, onde o morador escolhe um imóvel usado por valor equivalente ao que vai perder”, disse Bittar.

LEIA MAIS:

QUEDA DO DÉFICIT HABITACIONAL

ENTENDA O PACOTE HABITACIONAL DO GOVERNO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.