15/06/2009

Prefira as janelas anti-ruído

Fonte: Jornal da Tarde

Vidros de 20 mm são capazes de reduzir 40 decibéis, enquanto uma janela comum com esquadrias de alumínio isola em torno de 18 decibéis

Se você já decidiu investir em uma janela anti-ruído, agora é hora de escolher o modelo que oferece maior eficiência na isolação do som. Vidros de 4 mm, explica o pesquisador Mitsuo Yoshimoto, já bastam para isolar em torno de 28 decibéis. Vidros de 20 mm são capazes de reduzir 40 decibéis, enquanto uma janela comum com esquadrias de alumínio isola em torno de 18 decibéis. “O vidro sanduíche, que possui uma camada de ar entre o vidro duplo, são mais leve e aumenta isolação sonora”, pontua.

Com relação ao modo de abertura da janela, as de correr, mais comum em apartamentos, pois não interferem na fachada, são mais difíceis de isolar sons. Porém, o mercado oferece como opção janelas sobrepostas, que são encaixadas nas janelas já existentes e aumentam a isolação. “O trilho, geralmente, tem frestas, e o encontro entre as folhas não é perfeito”, explica o pesquisador.

Márcio Alexandre Moreira, gerente de vendas da Atenua Som, lembra que uma janela acústica deve isolar, no mínimo, 30 decibéis. Senão, não vale o investimento. “A janela pode isolar ruído em diversas frequências e diminuir em até 50% o ruído externo. Em cada 100 clientes, 80% pedem a solução em dormitórios.”

Há produtos mais sofisticados, com micro persiana entre vidros, que dão privacidade; vidros polarizados, que com um toque botão vão do transparente ao fosco; com sistema de cortinas black out, tipo de tecido que isola totalmente a luz que entra no ambiente. “O sistema é uma solução para profissionais que trabalham à noite e dormem durante o dia e precisam de um local escuro e silencioso”, explica Moreira.

Os preços dos produtos podem variar de R$ 1,5 mil a R$ 8 mil. As mais baratas são janelas para apartamento 1,2 m x 1,2 m, com sistema de vidro duplo, com acabamento, com instalação já incluída e que isolam em torno de 35 decibéis. As janelas mais completas podem ter acionamento eletrônico, sensor de chuva, fechamento automatizado e diversos fechamentos, além de cortinas especiais. “Apenas a aplicação de cortinas pode significar R$ 800 a mais.”

Porém, se engana quem pensa que sons internos não atrapalham tanto como o trânsito de grandes avenidas e que portas não necessitam de tratamento acústico. Yoshimoto lembra que a reverberação de sons no corredor de apartamentos pode demandar borrachas no batente da porta ou espuma para vedar frestas. “Onde mais passa som é através do rodapé, entre a folha da porta e a soleira. Três pessoas conversando animadas podem gerar 80 decibéis ou mais. É um incômodo psicológico, pois você entende o som, ao contrário do chiado do trânsito, que, após um certo tempo, passamos a ignorar.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.