18/09/2013

Prestação de aluguel tem o maior reajuste no ano em São Paulo

Segundo pesquisa do Secovi, os preços dos novos contratos de locação na capital paulista subiram, em média, 1,7% em agosto em relação a julho

Fonte: ZAP Imóveis

As pessoas que optaram por alugar um imóvel na cidade de São Paulo no último mês de agosto gastaram mais na hora de quitar as prestações.

O levantamento mostrou que os imóveis de um dormitório foram os que tiveram o maior aumento nos valores, com elevação de 2% no mês (Foto: Banco de Imagens / Think Stock)

Segundo a pesquisa mensal realizada pelo Secovi-SP (Sindicato da Habitação), os preços dos novos contratos de aluguel na capital paulista subiram, em média, 1,7% no oitavo mês do ano quando comparados com os negócios realizados em julho.

Este reajuste foi o maior registrado entre um mês e outro no ano de 2013. Até então, a principal variação havia ocorrido em junho, quando o aumento foi de 1,2% em relação a maio.

Nos últimos dos últimos 12 meses (agosto de 2012 e agosto de 2013), o aumento da locação residencial chegou a uma alta de 9,9%, variação superior à inflação medida pelo IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), que foi de 6,09% no mesmo período.

“Acontece um fenômeno estranho. Alguns locadores já têm dificuldade para alugar imóveis, mas os preços estão subindo. Talvez isso ocorra por causa da percepção de que a inflação está em alta”, analisou Walter Cardoso, vice-presidente de Gestão Patrimonial e Locação do Secovi, via nota.

“Com medo da inflação, o proprietário estaria pedindo um aluguel maior”, completou.

Cardoso destacou, porém, que, comparado a 2011, o aumento atual é até modesto. “No final de 2011, a alta acumulada em 12 meses oscilava de 18% a 19%”, comparou.

O levantamento mostrou ainda que os imóveis de um dormitório foram os que tiveram o maior aumento mensal nos valores, com elevação de 2%. Os valores das unidades de dois dormitórios tiveram aumentos médios de 1,6%, enquanto as residências de três quartos tiveram altas menores, de 1,4%.

Já a modalidade de garantia locatícia mais utilizada nos contratos de aluguel em agosto foi o fiador, usado em 47,5% das moradias locadas. O depósito de até três meses de aluguel foi responsável por um terço dos imóveis alugados, enquanto o seguro-fiança foi utilizado em aproximadamente um quinto das transações.

Os imóveis alugados mais rapidamente foram as casas, escoadas num período médio entre 14 e 33 dias. Para os apartamentos, o tempo variou de 19 a 38 dias, em média.

Confira a evolução dos reajustes dos aluguéis em 2013:

jan/13 – 0,5%
fev/13 – 0,7%
mar/13 – 0,1%
abr/13 – 1,0%
mai/13 – 0,9%
jun/13 – 1,2%
jul/13 – 0,7%
Ago/13 – 1,7%

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.