12/01/2007

Processo pode sair mais caro que prejuízo

Fonte: Jornal da Tarde

Para tentar obter o dinheiro de volta, nos casos em que o consumidor foi vítima de um golpe de locação, é necessário entrar com uma ação na Justiça. “Mas o Judiciário é lento, e os processos são complexos, demorados e onerosos. Às vezes, isso pode custar mais caro do que o prejuízo”, argumenta a técnica de defesa do consumidor e supervisora da área de habitação do Procon-SP, Renata Reis.

O Procon-SP também pode intervir em casos como esse, mas, para isso, é imprescindível ter algum tipo de comprovação da negociação, como um recibo, mesmo que simples, e o comprovante do depósito do aluguel, além dos dados fornecidos pelo locatário.

Renata enfatiza as medidas preventivas que devem ser adotadas para não cair nesse tipo de golpe. “Elabore um contrato de locação por escrito, mesmo que o período de locação seja curto”, recomenda.

O contrato deve conter os dados de ambas as partes envolvidas, o prazo de locação, o valor cobrado e deve ter anexo uma relação com os objetos e móveis da casa.

Essa lista dá garantias para o proprietário e ajuda o inquilino caso venha a ser acionado posteriormente por danos ao imóvel.

Além disso, a técnica do Procon-SP ressalta a necessidade de visitar o imóvel com antecedência. “Fotos podem não condizer com a realidade e com o estado atual do imóvel”, alerta a técnica.

Também é importante pedir referências para antigos locatários ou vizinhos da casa. Em caso de apartamentos, converse com o síndico.

Renata faz uma observação bem pertinente quando o assunto é preço: “Muito cuidado com as ofertas, ‘negócio da China’ não existe. Desconfie sempre”.

 

Leia também

 

Golpistas não tiram férias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.