16/12/2007

Programa do Sinduscon mede volume de sobras

Fonte: O Globo

Idéia do sindicato é desenvolver tecnologias e logística para administrar melhor as perdas

Preocupado com a quantidade de entulho proveniente das obras, o Sinduscon-Rio montou o programa “Gestão de resíduos da construção civil”. O engenheiro Lydio Bandeira, presidente da Comissão de Materiais, Tecnologia, Produtividade e Qualidade do sindicato, explica que grande parte desse entulho é material perdido:

— A idéia é medir o volume de sobras da obra para, a partir daí, administrar melhor esses materiais, com novas tecnologias e/ou logística — explica.

Perda de materiais e trabalho que precisa ser refeito, motivados pela falta de qualificação da mão-de-obra fizeram com que a Rossi montasse, dentro do empreendimento Villa Flora, uma escola de pedreiros:

— Nosso pedreiro é quase um montador. Assim, há padrão para tudo — diz Renato Diniz, diretor da empresa.

Fábrica no empreendimento dispensa transporte de itens

Assim, lajes, escadas, esquadrias e até caixas para instalações externas de eletricidade, telefone e de águas pluviais, entre outros, são pré-moldados em área dentro do condomínio, dispensando ainda o transporte.

— Separamos uma parte do terreno para ser uma fábrica. Quanto mais industrializada a obra, melhor. Ganhamos qualidade, produtividade e reduzimos o desperdício — o executivo da Rossi, que acaba de lançar, em Irajá, no Rio, o Villagio, uma adaptação do Villa Flora para centros urbanos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.