15/05/2009

Programa habitacional deve impulsionar negócios

Fonte: Jornal da Tarde

No pacote já tem 198,1 mil famílias cadastradas no Brasil, sendo 26,8% delas no Estado de São Paulo

O programa Minha Casa Minha Vida deve ser, segundo o superintendente regional da Caixa, Válter Nunes, o grande impulsionador do 5º Feirão da Casa Própria da Caixa Econômica Federal. “O maior volume de negociações, tanto de imóveis usados como de novos deve ser nos parâmetros do programa”, afirma ele.

Com um mês de existência, o programa habitacional já tem 198,1 mil famílias cadastradas no Brasil, sendo 26,8% delas no Estado de São Paulo. Ao todo, 340 municípios de 16 Estados. “E esses números têm crescido dia após dia”, afirma Nunes.

Até hoje, foram fechados 1.089 contratos de venda de imóveis por meio do programa em todo o País, total que inclui imóveis novos e usados, planejados antes do lançamento do programa. Os empreendimentos lançados já com foco no programa são, nos 16 estados participantes, apenas 10. Cinco deles são em São Paulo e contemplam o público com renda familiar entre três e seis salários mínimos. Os dois únicos lançamentos já contratados destinados ao público de famílias com renda mensal até três salários mínimos estão no Estado do Mato Grosso.

O Sindicato representativo das empresas do ramo de habitação, o Secovi, no entanto, vê dificuldades burocráticas para a criação de empreendimentos destinados a esse público. Segundo o diretor do Secovi-SP João César Miranda, os empecilhos são maiores nas áreas de menor renda, geralmente em subúrbios, do que nas áreas centrais mais valorizadas.

“Leva pelo menos um ano para regularizar toda a documentação, definir se o preço do terreno será um valor adicional ou se será arcado pela prefeitura. Geralmente essas áreas ainda têm mais dificuldades quanto a normas sanitárias”, diz ele.

A pesar de o Minha Casa, Minha Vida ter completado apenas seu primeiro mês, as contratações de financiamentos realizadas pela Caixa no primeiro quadrimestre de 2009 ultrapassaram o dobro das realizadas nos primeiros quatro meses do ano passado: nesse ano foram 67,6 mil financiamentos fechados no Estado de São Paulo, movimentando 2,9 bilhões, contra 24,8 mil contratos entre janeiro e abril de 2008, que movimentaram 1,3 milhão.

No total do Brasil, foram 96,5 mil financiamentos nos quatro primeiros meses de 2008 e 206,5 mil nesse ano. Em valor negociado, o aumento foi de 104%, passando de R$ 4,7 bilhões para R$ 9,7 bilhões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.