23/03/2009

Qual tinta usar?

Fonte: Jornal da Tarde

Principal diferença entre as tintas é sua eficiência, que varia proporcionalmente ao custo

Zap o especialista em imóveisAo pintar ambientes, a preparação de superfícies é essencial e exige resolução de problemas como umidade

O avanço da tecnologia em produtos facilitou a pintura de paredes. Além de tintas específicas para cada ambiente, a exemplo de fachadas, há as que amenizam respingos, cheiro, secam rapidamente e até classificações para amadores (DIY).

Divididas, geralmente, em três segmentos (econômico, standard e premium), a principal diferença entre as tintas é sua eficiência, que varia proporcionalmente ao custo. Mas optar por tintas de qualidade pode valer a pena, pois exigem menos demãos e, portanto, duram mais, conforme explica Franco Faldini, coordenador do Paint Quality Institute (PQI) da América Latina, que promove a pintura de qualidade.

“A tinta acrílica é a ideal. Desde o ano passado também está em curso o programa de classificação da Associação Brasileira de Fabricantes de Tintas (Abrafati), que profissionaliza o setor por meio de um controle de qualidade que pode ser identificado por meio de um selo. Hoje, as tintas também possuem alto nível de lavabilidade – consegue-se até tirar manchas de roupas. Mas essas tintas mais sofisticadas são mais indicadas para áreas de interiores especiais.”

Dessa forma, ante tantas opções no mercado, os problemas da pintura de ambientes parece residir no próprio processo de pintura. Para o PQI, os quatro passos essenciais para uma boa pintura é preparar bem a superfície, escolher ferramentas e tintas adequadas e avaliar condições do ambiente, diz Faldini. “É necessário considerar se há fungos e a existência de pintura antiga ao pintar. Com relação às ferramentas, a espessura dos pincéis variam conforme o local a ser pintado, e é importante observar a qualidade das cerdas, que podem ser naturais.”

O calor também pode influenciar no processo da pintura. Acima de 30°, a luz do sol direta pode atrapalhar o uso de cores escuras, causando manchas. Para exteriores, é importante ainda considerar tintas de secagem rápida em caso de chuvas.

De forma geral, as tintas possuem cerca de dois anos de garantia. Armazenar o que restou é providencial para reparos futuros. “O único cuidado é evitar que entre sujeita na lata, que pode comprometer a validade da tinta”, lembra Faldini.

Ele cita os problemas mais recorrentes nas pinturas: um deles são bolhas, geralmente causadas pela perda localizada de adesão da tinta. Uma das causas possíveis é a utilização de tinta dissolvente sobre a superfície molhada. Marcas causadas por rolo são resolvidas com a ferramenta adequada e pintura em “W”, que cobre a superfície da parede com uniformidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.