30/10/2006

Quando o móvel é a imagem da casa

Fonte: O Globo

Peças cobertas com espelhos voltam à moda e ajudam a dar amplitude ao ambiente

Os móveis espelhados estão de volta e se multiplicam por todas as partes da casa. Como as imagens em suas superfícies. Must nos anos 70 e relegado a segundo plano nas últimas décadas, o revestimento de espelho aparece em mesas, armários, aparadores, estantes, luminárias etc., como uma alternativa para dar mais amplitude aos ambientes – o que, avaliam especialistas, pode estar ligado ao tamanho dos imóveis, cada vez menores.

– Durante um tempo, móvel espelhado era sinônimo de cafonice. Mas as tendências vão e voltam. E, hoje, com os espaços cada vez menores, ele se tornou não só uma opção, como um aliado na busca por mais profundidade e luz no ambiente – destaca o arquiteto Gilmar Peres, que usou espelhos para revestir porta de armários de um closet e um aparador numa sala de estar, na Barra.

Rogério Kobylinski, designer de produto da Favo, diz que aumentou muito o uso de espelho como revestimento:

– A maioria dos pedidos é para ambiente menor, como quarto e banheiro.

As arquitetas Marise Kessel e Carmem Zaccaro, por sua vez, gostam de misturar, num mesmo móvel, o espelho e outros materiais, como a laca.

– Espelho em armário reduz a sensação de que ali tem muitas portas. E com a tendência de se usar portas de correr, temos painéis maiores e efeito melhor.

É preciso cuidado com a qualidade

O custo-benefício do uso do espelho como revestimento é outra vantagem apontada pela arquiteta Eliane Fiúza:

– O material não é caro, e o efeito é muito bom. Só se deve ter cuidado com o acabamento e a qualidade, que, se não for boa, provoca distorção. Além disso, quando o espelho é usado para revestir peças, a espessura não é muito importante, mas quando aplicado como tampo de mesa, por exemplo, deve ter ao menos 10mm – diz Eliane, que trabalha em dupla com o arquiteto Luiz Henrique Medeiros.

A arquiteta Cláudia Brassaroto usou o espelho para revestir a porta do closet no ambiente que assina na Mostra Artefacto. Para ela, o material dá mais sofisticação.

– Projetar, usando a ilusão do espelho, é o grande desafio.

Mas Peres alerta que é preciso cuidado com o que colocar sobre essas peças:

– Deve-se evitar objetos com muitos detalhes, como esculturas e vasos de flores pois as imagens se duplicam. Livros e caixas são boas opções.
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.