16/06/2007

Queda do dólar facilita acesso

Fonte: Jornal da Tarde

Produtos importados correspondem a 70%; diminuição dos preços também alavanca vendas

DivulgaçãoZap o especialista em imóveisO serviço de monitoramento de residências pode custar, mensalmente, entre R$ 120 e R$ 300, conforme a complexidade do sistema

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A desvalorização da moeda norte-americana frente ao real nos últimos meses e a popularização dos preços dos equipamentos eletrônicos no mercado nacional estão provocando a queda dos preços dos produtos eletrônicos de segurança e, conseqüentemente, alavancando as vendas de sistemas eletrônicos de monitoramento em todo o país.

Segundo o diretor de comunicação da Abese, Oswaldo Oggiam, o cenário econômico brasileiro tem motivado fabricantes de equipamentos de segurança, como alarmes, sensores de detecção de presença, câmeras de monitoramento e produtos para controle de acesso a investirem no Brasil.

“O dólar barato favorece as importações dos materiais eletrônicos, os principais insumos da indústria de sistemas de segurança. Muitas empresas estão preferindo fabricar ou montar esses equipamentos no Brasil, ao invés de importá-los prontos, por conta do custo menor”, explica Oggiam. Ainda assim, 70% dos produtos vêm do exterior.

Segundo ele, os preços dos equipamentos de segurança caiu 70% nos últimos oito anos, o que fez com que alarmes, câmeras de vigilância, cercas elétricas e até aparelhos mais sofisticados, como os sensores biométricos (que identificam pessoas a partir de impressões digitais ou leitura de íris), ficassem acessíveis para a classe média brasileira.

“O preço do alarme caiu sete vezes nos últimos cinco anos. De uma forma geral, os produtos estão mais baratos e com melhor custo-benefício, já que se trata de uma alta tecnologia globalizada, que vem sendo oferecida no mundo inteiro”, relata Oggiam.

De acordo com José Carlos Vasconcellos , sócio-diretor da Teleatlantic, uma das empresa líder em sistemas eletrônicos de segurança, ainda é o aumento da criminalidade nas grandes cidades o principal motivo da queda de preços e do crescimento do mercado.

“Em 14 anos que estamos no Brasil, nunca vimos um número de assaltos a residências como nos últimos meses. Isso está fazendo com que o brasileiro comece a pensar em segurança de uma maneira mais efetiva, principalmente, aqueles que moram em casa”, analisa Vasconcellos.

Por conta desse contexto, afirma ele, os brasileiros estão investindo mais em segurança. “O alarme monitorado é o melhor custo-benefício. Ter cachorro e muro alto ajudam muito, mas ter hoje um sistema de monitoramento é fundamental. Ele é muito efetivo e reduz em 80% a chance de assalto à residência”, completa.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.