09/10/2007

R$ 9 bi à disposição

Fonte: Jornal da Tarde

Financiamentos concedidos pelos bancos devem superar R$ 16 bi este ano. Interessado deve analisar qual a melhor linha de crédito para o seu caso

Ainda há crédito para realizar o sonho da casa própria em 2007, mesmo faltando menos de três meses para o final do ano. Só entre recursos da caderneta de poupança e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) estão disponíveis quase R$ 9 bilhões.

As duas fontes representam mais de 90% do dinheiro empregado no financiamento da casa própria, explica Mauro Costa, diretor do setor de Crédito Imobiliário da Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

De acordo com dados divulgados pela Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (Abecip), de janeiro a agosto deste ano o volume de recursos da caderneta de poupança para financiamento da casa própria atingiu R$ 10,3 bilhões, crescimento de 73,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Estima-se que até o fim do ano o valor atinja R$ 16,5 bilhões – 77,4% mais que o emprestado em 2006. Costa informa que, no caso do FGTS, do orçamento de R$ 6,8 bilhões destinado ao financiamento imobiliário para 2007, ainda há R$ 2,8 bilhões disponíveis.

Miguel de Oliveira, vice-presidente da Associação Nacional das Empresas de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac), recomenda usar os saldos de eventuais aplicações financeiras para um sinal razoável, que possa diminuir o valor financiado.

Os bancos têm diversas linhas de crédito específicas para a compra da casa própria, cujo prazo para pagamento pode chegar a 360 meses. As taxas de juros e o valor do financiado também variam. Roseli Hernandes, gerente-geral de locação e vendas da imobiliária Lello, aconselha que o interessado no crédito, antes de mais nada, realize simulações nos sites dos bancos para verificar se as prestações caberão dentro da renda do mutuário. “Lembre-se de que será uma nova despesa entre as demais do orçamento, que deve estar sempre equilibrado”, diz.

Além da questão financeira, outros fatores devem ser considerados na escolha do imóvel. Segundo Roseli, o comprador deve considerar variáveis como proximidade da família, do trabalho e a infra-estrutura da região.“Itens como segurança, trânsito e transporte coletivo contam muito”, diz.

Financie menos, pague menos
Imóvel de R$ 100 MIL

Financiamento em 20 anos: Se for sobre o valor total, ao final, o montante pago será de R$ 247.302,71

Se for um financiamento de 80% do imóvel (R$ 80 mil), ao final do prazo o montante pago será de R$ 197.842,17.

Economia de quase R$ 50 mil em relação à opção anterior

Se for um financiamento de 50% (R$ 50 mil) sobre o valor total, pagamento ao final será de R$ 123.651,35, uma economia de metade do valor em relação ao financiamento integral

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.