29/08/2008

Reformar fica 5,8% mais caro

Fonte: Jornal da Tarde

Mas, apesar do aumento nos sete primeiros meses do ano, comércio comemora vendas

Além das dores de cabeça que toda obra costuma trazer, o paulistano que reformou a casa neste ano teve de enfrentar um problema a mais: o aumento de preço dos materiais de construção. De acordo com o Índice do Custo de Vida (ICV), medido pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), nos sete primeiros meses de 2008 esses produtos ficaram, em média, 5,89% mais caros.

Os materiais já saíram da fábrica custando mais. Segundo Melvyn Fox, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat), todos os produtos derivados do aço, cobre e do petróleo (plásticos) tiveram aumento de preços por conta da valorização dessas mercadorias no mercado internacional. Além disso, a energia elétrica usada na produção e o frete dos materiais sofreram reajustes e também contribuíram para inflação do setor. “Com custos de produção mais altos, a indústria teve de repassar esses preços para o varejo”, afirma Fox.

Os comerciantes, por sua vez, repassaram os aumentos ao consumidor final. “Não há como o lojista conter os preços nesse cenário”, declara Cláudio Conz, presidente da Associação Nacional dos Comerciantes de Materiais de Construção (Anamaco).

O setor, porém, não tem do que reclamar. Mesmo com preços altos, as vendas continuaram crescendo em ritmo acelerado nestes sete meses. Para a indústria, a alta foi de 30% em relação ao mesmo período do ano passado. No varejo, as vendas subiram 9%.

Com mais gente querendo comprar, o lojista também aproveitou o momento para deixar os preços dos materiais ainda mais salgados. “Houve um crescimento significativo da demanda, que se explica principalmente pela alta da renda do brasileiro e pela participação da classe C no consumo desses materiais”, afirma Conz.

Dimitrius Markakis, presidente da rede de lojas de material de construção Dicico, é um dos empresários que estão rindo à toa com a prosperidade do trabalhador de renda média. “O povo está construindo mais ‘puxadinhos’, e, assim, as minhas lojas estão vendendo mais.”

Desde o o início do ano, a Dicico inaugurou 12 lojas – todas localizadas na periferia. E mesmo sem contabilizar o faturamento das novas unidades, as vendas já cresceram 20% ante o primeiro semestre de 2007. “O consumidor que começa a ganhar mais dinheiro logo pensa em reformar a casa”, diz Markakis. “Além disso, todas as lojas oferecem parcelamento das compras, muitas delas, sem juros. Com crédito fácil, as pessoas vão às compras.”

Preços estabilizados

Indústria e varejo são unânimes em dizer que, quando o assunto é inflação dos materiais de construção, o pior já passou. “Os custos não devem subir mais do que subiram até agora”, afirma Conz, da Anamaco. “Até porque os reajustes do setor já foram feitos no primeiro semestre.” Melvyn Fox, da Abramat, diz que quem pretende reformar não precisa comprar nada às pressas. “Mesmo com a demanda aquecida, a indústria tem condições de produzir em quantidade suficiente. Não vai faltar material na prateleira”, diz. “Os preços também não subirão mais.”

Center Castilho

As promoções são semanais, e os produtos em oferta podem ser parcelados em 18 vezes. Neste momento estão em oferta, a fechadura, da Rigel, por R$ 53, o vaso bouquet que está custando R$ 27 e a fechadura, da Papaiz por R$ 23.

www.centercastilho.com.br

(11) 2122-9800

Dicico

Todo mês, 450 itens são colocados em oferta. Há também promoções especiais nos fins de semana. Neste momento estão em ofertas, a porta com postigo 210 cm x 80 cm, da Prado por R$ 299, o tijolo comum (pacote com 10 unidades) que está custando R$ 2,90, a massa corrida PVA Home Plast 18 litros 3 RM por R$ 25,90.

www.dicico.com.br

(11)2065-2500

Leroy Merlin

A rede promove, até dia 1º de setembro, um Festival de Aniversário. As principais ofertas estão nos setores de construção, decoração e acabamento. Neste momento estão em oferta o Porcelanato 47 cm x 47 cm, da Buschinelli: R$ 16,90 (o m²), o cimento saco 50 Kg, da Votoran por R$ 13,99 e a porta Lisa Fuck 210 cm x 62/72/82/92 cm: R$ 59,90.

www.leroymerlin.com.br

(11) 3612-6200

Telhanorte

Os artigos em promoção mudam a cada semana. O tema dessa semana é ‘Banho de Loja – Compre tudo para seu banheiro’. Os consumidores que forem as lojas da rede poderão encontrar em oferta revestimento vários modelos, 33 cm x 45cm, da Pamesa: R$ 16,90, tinta acrílica econômica, 18L, da Coral: R$ 74,90, conjunto Parati Bacia, Convencional, lavatório, coluna, branco, da Logasa por R$ 79,90.

www.telhanorte.com.br

(11) 3618-5700.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.