29/07/2007

Rio e SP estão um luxo só

Fonte: O Globo

Aluguel para executivos nas duas cidades se equipara ao
de grandes capitais européias

Michel Filho/ Arquivo Zap o especialista em imóveisSão Paulo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Um item em especial chama a atenção dos brasileiros no já tradicional ranking anual das cidades mais caras do mundo, compilado pela Mercer, empresa internacional de consultoria: o valor dos aluguéis de apartamentos de luxo. Embora, no cômputo geral da cesta básica de custos, Rio de Janeiro e São Paulo tenham despencado em mais de 20 posições na lista das 143 cidades analisadas, no quesito habitação as duas capitais brasileiras ganham peso de Primeiro Mundo.

É o que mostra a listagem obtida pelo GLOBO junto à Mercer. Ainda que a compilação da empresa seja voltada para funcionários de multinacionais, cujos padrões de exigência são um pouco mais requintados, o Rio aparece como uma cidade em que o aluguel de um apartamento premium de dois quartos, sem mobília, bate na casa de US$1.890 (cerca de R$3.515), e São Paulo, na de US$1.660 (R$3.071). Valores que não ficam muito a dever aos cobrados em grandes capitais européias, como Madri (US$1.845), Bruxelas (US$1.448) e também Berlim (US$1.383).

Marcia Foletto/ArquivoZap o especialista em imóveisRio de Janeiro

 

É bom lembrar que tal diferença não foi suficiente para que o peso da moradia contrabalançasse o efeito que a valorização do euro teve no salto que as cidades do Velho Mundo deram no ranking do custo de vida — Rio de Janeiro e São Paulo caíram este ano, respectivamente, das 40ª e 34ª posições para as 64ª e 62ª. Mesmo com o fortalecimento do real diante da moeda americana.

O maior custo de vida na pesquisa da Mercer é de Moscou, que pelo segundo ano consecutivo encabeçou a lista, com um cafezinho custando mais de US$6.

 

 

Tóquio, Moscou e NY estão na ponta

Das principais cidades analisadas pela Mercer, entretanto, a capital russa perde em custos de moradia de luxo para Tóquio — onde o custo da habitação é alto de forma geral — e está empatada com Nova York, em US$4 mil, ou R$7,4 mil, pelo aluguel médio mensal de um dois-quartos premium.

Gilberto ScofieldZap o especialista em imóveisTóquio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mas como os aluguéis são tão caros em capitais de um país em desenvolvimento como o Brasil? Segundo Ricardo Teixeira, diretor comercial da Lopes Imobiliária, por uma simples questão de oferta e procura. No Rio, a condição de meca nacional do turismo também ajuda a explicar os preços altos:

— São poucas as opções de imóveis de alto padrão para atender à demanda, que cresce com a vinda de funcionários de multinacionais. É importante salientar que estes valores referem-se sobretudo a imóveis em bairros nobres, como Leblon, no Rio, e Vila Nova Conceição, em São Paulo, que têm pouca oferta.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.