21/12/2012

Saiba como eliminar os cupins da sua casa

Saiba como eliminar os cupins da sua casa

Fonte: Revista do ZAP

Se não levados a sério, esses bichinhos podem causar grandes prejuízos

O cupim, inseto predador que faz de casa e alimento as estruturas de madeira das residências, vive sua melhor fase na primavera e no verão. Quando a temperatura sobe, o bichinho se prolifera, comprometendo armários, forros e portas.

Luciano Moraes / Agência RBSMontinhos de pó aparecem perto dos móveis

Nesta época do ano, é comum surgir um pó próximo aos móveis, além de pequenas asas — resquícios das conhecidas aleluias, que perdem as asas e procuram um lugar amadeirado para se acasalarem, formando os cupinzeiros. Sinal que o cupim está por perto.

Não expulsá-lo logo pode render um sério prejuízo no futuro, avisa o dedetizador Manoel Vieira Alexandre. “Já vi gente perder toda a casa. Não é brincadeira. Em um imóvel de tamanho médio a dedetização custa R$ 830. O preço é combinado de acordo com a quantidade de produto usado”, alertou o profissional, que há 27 anos extermina o indesejado.

Alternativas no comércio
Há formas mais baratas de contornar o problema. Opções em embalagens aerosol podem ser encontradas no comércio. Os produtos são incolores e permitem outro tratamento na madeira, depois: verniz, cera ou tinta.

Na aplicação, é preciso alguns cuidados para acabar de vez com a festa deles: “Aplique o produto no orifício da colônia do inseto com broxa ou pincel. Não precisa sair de casa para a aplicação. O produto não tem cheiro”, ensina o dedetizador Manoel.

Saiba mais sobre os bichinhos
:::
Mais de 2 mil espécies de cupins catalogadas, sendo 500 delas no Brasil.

::: Habitam ninhos em galhos de árvores, cavam túneis nos troncos ou debaixo da terra.

::: Se alimentam de estruturas ricas em celulose, encontradas em madeira, papel, telas, tecidos, gesso e alvenaria.

::: Na primavera e no outono ocorrem as revoadas.

Como previnir
:::
Utilizar madeiras mais resistentes ao cupim como peroba-do-campo, peroba-rosa, jacarandá, pau-ferro, braúna, gonçalo-alves, sucupira, copaíba, orelha-de-moça, roxinho e maçaranduba.

::: Colocar telas com malha de 1,6 mm em portas, janelas, basculantes e outras aberturas para evitar a entrada de cupins durante as revoadas.

::: Evitar estocagem inadequada de madeiras, principalmente em locais úmidos.

::: Vistoriar periodicamente rodapés, forros, armários, estantes, esquadrias e outras estruturas de madeira, para detectar qualquer início de infestação, facilitando o controle.

::: Se livrar de madeiras usadas durante obras, imediatamente após a conclusão.

::: Retirar e destruir madeiras infestadas, preferencialmente queimando-as em lugares adequados.

Combate
:::
Quanto antes, melhor.

::: Perfuração para encontrar os locais onde estão alojados os cupins.

::: Aplicação de produto imunizante com broxa ou pincel, diretamente nos orifícios.

::: Há opções em embalagens aerosol, lata de 900 ml, galão de 3,6 litros, lata de 18 litros e tambor de 200 litros. Os produtos são incolores e permitem qualquer tratamento posterior na madeira: verniz, cera ou tinta.

::: Aplicar cupincida em pó na rede elétrica ou telefônica.

::: Cercar o acesso dos cupins ao imóvel com barreira química e repelentes.

::: Casos mais graves exigem monitoramento durante um a dois anos depois do primeiro tratamento.

Cuidados ao detetizar
:::
Deixar os armários completamente livres, colocando objetos em locais que não dificultem o acesso para serem tratados.

::: Todas as pessoas devem se afastar do local durante três horas.

::: Recém-nascidos, gestantes, pessoas alérgicas ou com problemas respiratórios devem se afastar por 12 horas.

::: Usar os armários somente após 24 horas, se o local estiver seco.

::: Deixar o local bastante ventilado.

Leia mais:
>> Dedetize a casa de praia e comece as preparações para o verão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.