01/02/2012

Saiba como escolher um bom síndico

Fonte: O Estado de S. Paulo

Especialista dá as dicas para a escolha de um bom administrador

Condomínios residênciais (Foto: Divulgação)

O discurso do candidato a síndico do prédio pode ser eloquente e trazer uma lista de boas intenções. Mas, para saber se aquele pode ser, de fato, um bom administrador, vale observar alguns detalhes referentes ao nível de conhecimento que possui sobre o prédio e não apenas o tipo de relação que estabelece com os funcionários e moradores. Vale também checar o quanto o pretendente sabe sobre o exercício do cargo.

Segundo José Roberto Iampolsky, diretor da Paris Condomínios, em São Paulo, os condôminos não só devem participar das eleições de síndico, como devem votar com muita consciência, pois um condomínio mal administrado pode trazer grandes prejuízos financeiros para o proprietário e desvalorizar o imóvel.

“Basicamente, o candidato a síndico deve demonstrar que conhece o condomínio e suas necessidades, que tem tempo e disponibilidade para cumprir suas inúmeras funções e se relacionar com os moradores, alguma familiaridade com rotinas de administração geral e boa vontade em aprender, ouvir, servir e conciliar”, sintetiza Iampolsky.

De acordo com o especialista, caso o candidato esteja concorrendo à reeleição, os condôminos devem avaliar a gestão anterior do mesmo antes de votar, evitando mantê-lo no cargo por conveniência.

“É preciso levar em conta alguns pontos: se o condomínio está ordem, se o orçamento está adequado, se as decisões que foram tomadas nas assembléias foram cumpridas devidamente e se o candidato tem novas e boas propostas”, alerta Iampolsky.

Iampolsky ressalta que normalmente, em condomínios residenciais, o moradores não costumam ser criteriosos na escolha de seus candidatos.

“Com exceções a condomínios comercias (salas ) aonde é adotado um perfil de diretor de empresas (prazos, metas factíveis, assembleias curtas e objetivas), em condomínios residenciais ainda prevalece o critério simpatia, e vizinhança, poucos conseguem separar capacidade de camaradagem”, completa

O bom síndico deve ter metas e um cronograma para realizá-las; ser realista e não criar falsas expectativas; conhecer os condôminos sem invadir sua privacidade, pois sua função é administrativa, não de polícia; manter um “checklist” com todas as datas de vencimentos; estar bem assessorado administrativamente (contratar uma boa administradora) e, principalmente, saber gerir conflitos.

Devido à dificuldade cada vez maior entre os condôminos para eleger um síndico, seja pela falta de candidatos ou porque o candidato não agrada a maioria, há prédios que acabam optando por contratar um profissional. Neste caso, ele pode atuar como autônomo ou pessoa jurídica e não há impedimento geral na contratação de um síndico profissional, segundo o diretor da Paris Condomínios.

“Pode ser uma boa ideia, ou uma catástrofe. É uma analogia similar a de um casamento: uns são felizes, outros acabam em guerras.”

LEIA MAIS:

Atraso na taxa de condomínio pode trazer problemas ao inquilino

Período de férias requer mais cuidado na segurança dos condomínios

2 Comentários

  1. gostaria de uma informação: moro no apt da minha amiga de 65 anos,que tambem mora aqui.Ai teve um vazamento na hidraulica do condominio que pingava na loja abaixo do apto, a síndica chamou pra gente ver e gritou comigo na frente do dono da loja e dos clientes dizendo que o problema era nossa e que tinhamos que resolver com urgencia, falando de forma áspera e sem educação, Fiquei constrangida e prontamente chamei alguem pra vistoriar.onde constatou q o problema não era do apto q moro. Só que ai o vice sindico insistia que o problema era nosso e chamamos outro profissional pra ver e teve que quebrar na volta de todos os registros, vaso, encanações pra poder ver se tinha vazamento. Ficamos sem ter onde tomar banho e fazer necessidades fisiológicas por 4 dias, até que descobriram q o problema era da hidraulica do condominio,e agora estao enrolando sem resolver o problema do meu banheiro. estamos usando o banheiro do salao de festas, mas minha amiga que tem 65 anos é difícil e constrangedor andar pelo corredor pra tomar banho ou usar o vaso, e nem visita pode receber no dia do seu aniversario por causa deste transtorno. Qual o procedimento correto, e quais as ações judiciais que posso entrar contra o condomínio. Por favor me ajude

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.