18/05/2009

Saiba o que pode acontecer com o seu dinheiro que está na poupança

Fonte: O Globo

Juros do financiamento tendem a cair? É hora de comprar a casa própria? Veja o que pode mudar com a decisão do Governo

Foto: Agência EstadoZap o especialista em imóveisO que é mais vantajoso deixar o dinheiro aplicado em renda fixa ou outro investimento do gênero?

Nada é pra já. Os efeitos da taxação de parte dos rendimentos da poupança sobre o crédito imobiliário não virão agora. Não se trabalha, por exemplo, com a hipótese de fuga de recursos da caderneta. Pelo contrário, com a tendência de queda dos juros, o que especialistas ouvidos pelo Morar Bem esperam, para mais adiante, é que, finalmente, sejam dadas as devidas condições para que o Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) deslanche. Nesse sentido, o mutuário não precisa ter pressa. Nem se preocupar com efeitos imediatos dessa mudança sobre os financiamentos. A seguir, respostas para as dúvidas mais recorrentes.

Como as mudanças atingem o setor? Os efeitos dessas mudanças vão depender de uma série de variáveis. O ponto positivo é permitir a continuidade do processo de redução da taxa de juros no país, impulso que falta para o Sistema de Financiamento Imobiliário (SFI) deslanchar, criando novos recursos para os financiamentos imobiliários. Espera-se que, com a queda do nível de juros no país, haja uma redução acentuada das taxas de longo prazo, o que pode finalmente alavancar o sistema.

Há risco de haver uma fuga de recursos da caderneta de poupança? Apesar da alta concentração dos depósitos em cadernetas de poupança, o perfil dos seus aplicadores é muito conservador, o que não provocaria grandes movimentações no saldo da aplicação.

Os juros dos financiamentos imobiliários tendem a cair? Podem cair pela redução da taxa Selic, normalização do mercado de crédito e concorrência entre os agentes financeiros com a diminuição da crise.

O spread do crédito imobiliário não é alto demais? Para o economista Marcus Vinícius Valpassos, da Galanto Consultoria, só a partir de agora será possível verificar até que ponto o spread (diferença entre o que os bancos pagam e cobram na tomada e concessão de empréstimos) dos financiamentos habitacionais é fruto do alto risco ou de exagero. Já para o ex-executivo de habitação do setor bancário João Bosco Segreti, da Sam Consultoria, considerando-se os riscos, o spread não é alto.

Se a pessoa vender um apartamento e levar seis meses para comprar outro, vai ter que pagar Imposto de Renda pelo tempo que deixar esses recursos na poupança? Se deixar mais de R$50 mil na caderneta de poupança por, como exemplo, seis meses, terá que pagar IR por isso, sim.

Em que momento? Na declaração anual.

Num caso como esse, seria mais vantajoso deixar o dinheiro aplicado em renda fixa ou outro investimento do gênero? Para tomar a decisão, seria necessária uma simulação à época da aplicação. Dependeria do nível da taxa Selic, do percentual de taxa de administração e da alíquota de tributação do fundo concorrente da poupança. Hoje, ambas as aplicações em poupança e em fundos são seguras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.