08/09/2015

Saiba quais as opções de financiamento imobiliário

Veja as recentes mudanças para financiamento da Caixa e outras opções para compra de um imóvel em 2015

Fonte: Hatada Advogados

É fundamental que o futuro comprador  analise bem todas as possibilidades antes de adquirir um financiamento imobiliário. Para isso é importante tirar dúvidas com especialistas da área e consultar um advogado antes de assinar qualquer documento.

FINANCIAMENTO
A Caixa tomou medidas que restringem o acesso ao financiamento, mas outros bancos ampliaram os recursos disponíveis para habitação. (Foto: Shutterstock)

+ Saiba como as mudanças da Caixa afetaram o financiamento imobiliário nos demais bancos

+ Saiba como avaliar um imóvel usado antes de fechar a compra

A advogada Marina Paula de Faria, do Hatada Advogados, destaca as recentes mudanças para financiamento da Caixa e cita outras possibilidades para quem deseja adquirir um imóvel no ano de 2015:

A Caixa Econômica Federal, maior concessora de empréstimos para compra da casa própria no Brasil, segue o ano de 2015 tomando medidas que restringem o acesso ao financiamento imobiliário. Por outro lado, bancos como o Itaú e o Banco do Brasil têm ampliado os recursos disponíveis para habitação.

A Caixa aumentou os juros, entre 8,80% e 9,45%, e reduziu o percentual máximo para financiar imóvel pelo SFH (Sistema Financeiro da Habitação), de 80% para 50%, e pelo SFI (Sistema Financeiro Imobiliário), de 70% para 40%.

Outra mudança foi a diminuição do valor máximo para financiar imóvel com recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) dentro do programa Pró-Cotista (destinado a quem ganha acima de R$ 5 mil), que caiu de R$ 750 mil para R$ 400 mil.

compra-imóvel
Antes de adquirir um imóvel é importante tirar dúvidas sobre as melhores opções de financiamento de acordo com seu perfil (Foto: Shutterstock)

Quem tem contrato de financiamento na Caixa com recursos da poupança por meio do SBPE (Sistema de Poupança e Empréstimo) não pode mais receber outro crédito dessa linha. Essa regra vale apenas para a linha de crédito que usa recursos da poupança e não para a que usa o FGTS.

No entanto, há outras possibilidades para adquirir a casa própria:

Minha Casa, Minha Vida: Programa habitacional popular do governo.

O interessado deve ter renda entre R$ 1.600 a R$ 5 mil e adquirir imóvel com o teto máximo de R$ 190 mil. O benefício dessa modalidade são as taxas de juros menores, que vão de 5% a 7,16%, com uma entrada a partir de 10%.

Consórcio: As vantagens dessa alternativa de empréstimo são: os juros baixos; a possibilidade de usar o FGTS para dar lances e receber a carta de crédito rapidamente; o prazo para a liberação, que varia entre 60 a 180 meses.

No entanto, quem escolher essa opção não pode ter pressa para mudar, pois tanto pode ser o primeiro a ser contemplado como o último.

As taxas de administração, adesão e os seguros, podem comprometer até 20% as prestações. E ainda, há o risco de o valor não ser suficiente para aquisição do bem pretendido na liberação da carta de crédito.

construção-imóvel
Quem faz um consórcio não pode ter pressa para mudar, pois não há data fixa de quando será contemplado (Foto: Shutterstock)

Financiamento direto com a construtora: Essa alternativa de crédito é indicada para quem quer adquirir o bem no valor acima de R$ 500 mil e pretende quitar as parcelas em pouco tempo.

A vantagem dessa escolha é dar uma entrada menor do que no empréstimo com banco e ter a facilidade de negociação com o incorporador. Com essa opção há menor rigidez para conseguir a concessão do financiamento e, no caso da impossibilidade de cumprir o contrato, é possível realizar um acordo.

O problema dessa escolha está na cobrança dos juros, de 12% ao ano mais o IGPM (Índice Geral de Preços- Mercado), após receber as chaves, levando a um aumento considerável do preço final.

Cotação em bancos privados: A possibilidade de financiar o imóvel com instituições privadas pode ser uma boa alternativa, pois o valor de entrada é menor do que tomar empréstimo com a Caixa.

O consumidor que tem um bom relacionamento com o banco pode conseguir juros menores. Antes de fazer a escolha é indicado pedir para todas as financeiras o Custo Efetivo Total que vai mostrar todas as parcelas do financiamento, incluindo taxas e seguros.

Fundo de reserva: Junte dinheiro para dar uma boa entrada, com o uso do FGTS e o dinheiro guardado na poupança ou em outras aplicações.

Além de dar um sinal considerável para a compra do bem, o dinheiro guardado será fundamental para o consumidor fechar um contrato mais vantajoso.

As vantagens são ter um bom desconto no preço do imóvel, pois as construtoras estão querendo vender suas unidades em estoque, bem como, negociar melhores taxas de juros.

Composição de renda: A junção de rendas entre marido e esposa, ou outra pessoa com quem tenha vínculo confiável, é uma boa alternativa para usar o FGTS dos participantes e dar uma boa entrada na aquisição do imóvel.

 

O que é o financiamento de imóveis?

Financiamento pré-fixado ou pós fixado?

Amortização de financiamento

*O escritório Hatada Advogados atua no mercado imobiliário. Recebeu o prêmio Top Empreendedor em 2012 da revista Top of Business.

 

+ Paredes de isopor são usadas em construção de casas. Saiba mais

+ Caixa vai financiar apenas 50% do imóvel usado

+ Banco do Brasil altera taxa de juros do financiamento de imóvel

+ FipeZAP divulga que valor médio de locação passa a cair em 2015

+ FipeZap aponta que preços de imóveis residenciais seguem abaixo da inflação

+ Veja 10 dicas para transformar o seu quintal

+ Confira 18 dicas de decoração de varandas

+ Pastilhas na decoração: Veja 5 dicas de como usar

+ Azulejos: trocar, aplicar novos sobre antigos ou pintar?

+ Saiba quais os pisos ideais para sua garagem

 

+ Quer receber mais dicas de decoração e mercado? Informe seu nome e e-mail no espaço para comentários desta matéria. Os dados não serão publicados nessa página

12 Comentários

  1. Sim, gostaria de receber mais dicas de decoração e mercado do ZAPimoveis, pois são, sem dúvida, muito úteis.

  2. Olá, Edson! Acompanhe o #ZapemCasa! Todo dia uma dica especial para você. Confira: http://bit.ly/ZapemCasa

  3. Boa tarde, quero fazer um financiamento de um imóvel, estou com restrições porém vamos acertar essa semana. Gostaria de saber se acertando essa restrições recente a caixa aprova meu financiamento? Se tiver alguma conta em atraso prejudica um financiamento?

  4. Olá, Luiza! Tudo bom? Sugerimos que você procure um especialista que consiga avaliar sua situação com a atenção devida. Se precisar de alguma informação sobre venda ou locação de imóvel, estamos aqui! =)

  5. fechamos negocio de uma casa com os cronstrutores dela no valor de 170 mil…o imovel vai ser financiado pela caixa,porem o engenheiro ao avaliar disse que a casa valia 153 mil…gostaria de saber qual sera o procedimento?

  6. Olá, Camila. Como está? Sugerimos que você consulte a Caixa Econômica Federal e, se necessário, procure um profissional que possa avaliar sua situação com a atenção devida. Se precisar de alguma informação sobre venda ou locação de imóvel, estamos aqui! 🙂

  7. Boa noite, tenho uma duvida.
    Estamos em negociação com a construtora de um apartamento e já fomos aprovados pelo financiamento SBPE. Ainda não assinamos nada. No dia 02/01/2018 a caixa voltou com a taxa procotista. Com isso solicitamos a troca do financiamento DE: SBPE, PARA: PROCOTISTA.
    Sendo que fomos informados que podemos correr o risco de sermos reprovados, uma vez que já fomos aprovados, para solicitar uma nova aprovação só podemos depois de 6 meses, correndo o risco de perder esse taxa.
    Gostaria de saber se isso procede ou se podemos trocar a taxa sem que sejamos reprovados.

  8. Olá, Natasha! Como está? Sugerimos que você consulte a Caixa Econômica Federal e a construtora e, caso necessário, um profissional que consiga avaliar sua situação com a atenção devida. Se precisar de alguma informação sobre venda ou locação de imóvel, estamos aqui! 🙂

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.