09/03/2007

Sala São Paulo deu novo impulso à recuperação

Fonte: Jornal da Tarde

A Associação Viva o Centro não costuma coordenar projetos de grande monta que envolvam o espaço público. Apesar disso, a instituição tem pelo menos duas importantes ações dessa natureza em seu currículo. A primeira delas foi a transformação da sede da antiga estação de trens Júlio Prestes em complexo cultural. Inaugurado em 1999, o espaço … Continue lendo “Sala São Paulo deu novo impulso à recuperação”

A Associação Viva o Centro não costuma coordenar projetos de grande monta que envolvam o espaço público. Apesar disso, a instituição tem pelo menos duas importantes ações dessa natureza em seu currículo.

A primeira delas foi a transformação da sede da antiga estação de trens Júlio Prestes em complexo cultural. Inaugurado em 1999, o espaço conta com sala de concertos com capacidade para mais de 1.500 pessoas, que recebeu o nome de Sala São Paulo, auditório para música de câmara, estúdio de gravação e salas de ensaio. O local conta ainda com restaurante e garagem para 600 veículos.

A restauração do espaço e transformação do local tiveram a participação de diversas empresas,além de órgãos governamentais estaduais e federais, sob a coordenação da Associação Viva o Centro.

A instituição também foi responsável por diversos estudos urbanísticos para revitalização do Bairro da Luz, onde está a Sala São Paulo, que resultaram no livro Pólo Luz – Sala São Paulo, Cultura e Urbanismo.

Foi também por solicitação da Associação Viva o Centro que o arquiteto Paulo Mendes da Rocha elaborou, em 1992, projeto para revitalização da Praça do Patriarca, com a retirada dos terminais de ônibus e a construção de um polêmico arco na entrada da Galeria Prestes Maia.

Após passar por avaliação das organizações de preservação do patrimônio histórico, o projeto foi entregue à Prefeitura, a quem coube a execução. A praça foi entregue à população em 2002.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.