31/07/2003

Saúde: bairro paulistano no caminho do mar

Fonte: Editoria Zap


Zap o especialista em imóveis
Da mesma maneira que a Vila Mariana, há mais de dois séculos a região da Saúde já funcionava como um corredor, através do qual viajantes, tropeiros e carreiros deslocavam-se da parte central da cidade para o litoral, São Bernardo ou Santo Amaro (então uma vila independente). O que existia na época era pouco mais que uma picada, conhecida como “Caminho do Carro”, que saía do largo da Pólvora, seguia pela atual rua Vergueiro, passava pela ribanceiras do Anhangabaú, chegava à atual Rua do Paraíso, seguia pela Domingos de Morais e virava à direita na Luís Góes, até a divisa com Santo Amaro, nas proximidades do atual bairro de Indianópolis.

Mas a história do surgimento da Saúde como uma região com identidade própria começa realmente um século depois, em 1886, com a inauguração, por Alberto Kuhlman, da Estrada Carril de Ferro, que trouxe para a cidade um novo sistema de transporte, o bonde a vapor. Assim, o que era o Caminho do Carro transformou-se na linha de bonde para Santo Amaro, que partia da atual rua São Joaquim e seguia até o Brooklin Paulista. Como a linha não fez o sucesso esperado, em 1900 a Light arrematou o acervo da empresa, passando a explorar o serviço. Em 1913 os bondes passaram a usar eletricidade, tornando as viagens mais rápidas.

Com a implantação de um sistema de transporte coletivo, ainda que incipiente, os proprietários de chácaras naquela região começaram a vislumbrar bons negócios. Como era muito cedo para pensar em loteamento, já que a Vila Mariana, bem mais próxima ao centro, mal começava a urbanizar-se, o local virou um grande centro de lazer, batizado de Bosque da Saúde. A exemplo do Jardim da Aclimação e do Parque Antártica, o Bosque da Saúde foi um dos destinos preferidos pelos paulistanos nos fins de semana durante quase duas décadas no início deste século.

Em 1910 a região ganhou a capela de Santa Cruz, onde hoje está a atual igreja. Em 1917, ela foi transformada em paróquia, já com o nome de Nossa Senhora da Saúde. Em 1925, foi criado o Distrito de Paz, e em 1930 finalmente o Bosque da Saúde foi loteado, dando origem a uma área residencial de características bastante modestas se comparadas às dos europeizados bairros da região central. Por muito tempo ainda a Saúde seria considerada uma zona periférica. Após a primeira fase de urbanização, o bairro teve três momentos de expansão: entre as décadas de 50 e 60, com o surgimento de vários outros loteamentos que acabariam por dar origem a novos núcleos, a década de 70, quando a chegada do metrô a São Paulo veio alterar completamente a noção de distância entre o centro e os bairros incluídos na rota do novo meio de transporte, e por fim a década de 90, que representou o início do processo de verticalização do bairro e um conseqüente adensamento populacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.