19/01/2009

Secovi amplia pesquisa de preços

Fonte: O Globo

Valor por metro quadrado passa a ser fornecido

A pesquisa mensal de preços de venda e aluguel dos imóveis no Rio de Janeiro, feita pelo Sindicato da Habitação (Secovi Rio) e publicada semanalmente pelo Morar Bem, aqui nesta página, foi aprimorada. Além do aumento no universo de imóveis pesquisados  de cerca de quatro mil para mais de 12 mil  o Centro de Pesquisa e Análise da Informação (Cepai), que acaba de ser criado pela entidade, agora não só coleta como analisa os dados, passando a fornecer o valor do metro quadrado em cada bairro.

Segundo o diretor de Marketing do Secovi Rio, João Augusto Pessoa, o preço do metro quadrado é um bom indicador para o mercado imobiliário, já que imóveis com o mesmo número de dormitórios podem ter medidas bem diferentes.

Existem três-quartos com 60 metros quadrados e com 120 metros quadrados. Então, fica difícil saber o preço pelo número de cômodos – argumenta Pessoa, ressaltando que a pesquisa mostrará também o tamanho médio dos imóveis ofertados, tanto para venda como para aluguel.

Na nova pesquisa, foram feitas algumas modificações nos grupos de bairros. Barra da Tijuca e Recreio, por exemplo, que faziam parte de um mesmo grupo, ficaram separados. Agora, junto com Recreio, estão as Vargens Grande e Pequena.

Com o passar dos anos, os mercados imobiliários de Barra e Recreio se desenvolveram de maneira diferente.

O estatístico Maurício Eiras, responsável pelo Cepai, ressalta ainda que a nova pesquisa inclui 54 bairros, que fazem parte de 24 grupos:

A cidade tem 106 bairros e estamos trabalhando com mais da metade deles. Normalmente, trabalha-se com uma amostragem de 10% a 20%.

As fontes da pesquisa também mudaram um pouco, acrescenta o estatístico. Antes, a pesquisa era feita somente com base nos imóveis anunciados em jornais, diz ele:

Em alguns bairros, como na Urca e na Glória, há pouquíssimos anúncios. E, se a amostragem é pequena, pode haver preços muito díspares, que não refletem a realidade. Então, agora, quando é o caso, buscamos como fonte as imobiliárias de bairro. E incluímos também os anúncios de sites especializados.

Como dezembro foi o primeiro mês em que se apurou os preços do metro quadrado, não há muitos referenciais para se fazer análise. Mas, daqui pra frente, informa Eiras, o Secovi passará a examinar o comportamento dos valores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.