15/07/2010

Segmento popular é o que mais cresce

Fonte: O Globo
(Foto: Divulgação)
Imóveis com preços até R$ 200 mil tem ganhado mais espaço nas vendas das grandes construtoras (Foto: Divulgação)

O chamado segmento econômico, representado por imóveis com preços até R$ 200 mil, tem ganhado cada vez mais espaço nas vendas das grandes construtoras. A Living, braço da Cyrela para esse setor, deve somar neste ano até 40% das unidades comercializadas por toda a empresa. Na Gafisa, outra gigante imobiliária, a estimativa para este ano varia entre 40% e 45%, para atingir até 50% no próximo ano. A empresa atua no segmento popular por meio da Tenda, comprada em 2008.

“O alto e o médio padrões estão crescendo, mas não com a velocidade do segmento econômico – disse o diretor-geral da Living, Antonio Guedes.”

Só no primeiro trimestre deste ano, as vendas da Living somaram R$ 411,5 milhões, um salto de 236,9% em relação ao mesmo período do ano passado.

Foram 3.152 unidades, ao preço médio de R$ 130,6 mil. Para Guedes, o grande estímulo foi o programa “Minha Casa, Minha Vida”, do governo federal.

“Foi o IPI do setor – compara ele, em referência à redução de impostos para veículos e eletrodomésticos de linha branca em 2009 e parte deste ano.”

A Cury, construtora que sempre atuou no segmento econômico, viu seu faturamento se multiplicar nos últimos anos. De R$ 65 milhões em 2007, pulou para R$ 130 milhões no ano seguinte e R$ 450 milhões em 2009. Para 2010, a previsão é de R$ 500 milhões.

Por trás de todos esses números, existe um cenário que mistura juros menores, renda em alta, desemprego em queda e maior oferta de crédito.

LEIA MAIS:

IMÓVEIS BARATOS, MAS LUXUOSOS

IMÓVEIS COM 1 DORMITÓRIO: RARIDADE

TIRE SUAS DÚVIDAS SOBRE COMPRA, VENDA E LOCAÇÃO DE IMÓVEL

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.