27/04/2007

Segurança depende de moradores

Fonte: O Estado de S. Paulo

Especialistas afirmam que metade dos assaltos poderia ser evitada com cuidados básicos dos condôminos

Vivi Zanatta/AEZap o especialista em imóveisInfra-estrutura – Condomínios oferecem cada vez mais opções de lazer aos moradores que estão mais preocupados com segurança

 

 

 

 

 

 

 

Os cuidados com a segurança não são somente responsabilidade de empresas de segurança e funcionários. São também dos moradores. “Tem morador que acredita que só com o sistema de segurança já é suficiente e não precisa fazer mais nada”, afirma o especialista em segurança da GR, empresa que implanta soluções de segurança em condomínios, Rogério Rodrigues Santos.

O especialista acredita que entre 50% e 60% dos assaltos que já ocorreram poderiam ter sido evitados se o comportamento do condômino tivesse sido diferente.

Santos afirma que os moradores tendem a estar mais atentos à segurança quando ocorrem casos de violência envolvendo parentes ou prédios vizinhos. “Os condôminos devem estar atentos porque os ladrões especializam-se em assaltos . Eles estudam a região por duas, três semanas”, diz Santos.

Ele ainda alerta que para os assaltantes o padrão do condomínio não é o mais importante. “O que muda neste caso são os objetos de interesse deles (ladrões)”. Nos prédios de alto padrão, a busca é concentrada em objetos de valor elevado, como jóias, obras de arte e carros. Nos de médio padrão, a procura é basicamente por eletrônicos, como: DVD, notebook, computador e claro, dinheiro.

Santos afirma que algumas atitudes devem fazer parte do dia-a-dia do condômino. “Na entrada ou saída é preciso observar se não está sendo seguido ou se há algum suspeito pela região”. Caso haja algum suspeito não entre no prédio. “Dê mais uma volta e caso a pessoa continue lá, chame a polícia”.

Casa ou prisão?

A professora de psicologia da Universidade de São Paulo(USP), Leila Tardivo afirma que com os casos de assaltos e roubos a condomínios a tendência é cada vez mais as pessoas ficarem dentro dos condomínios. “O momento é de muito medo entre os cidadãos”.

Ela ressalta que com as opções de lazer oferecida pelos condomínios, as saídas dos moradores ficam ainda mais reduzidas. E com isso os apartamentos transformam-se em prisões. “Os moradores preferem ficar em casa, já que muitos serviços como a academia, por exemplo, já estão no prédio”, afirma Leila.

O diretor da Fraiha Incorporadora, Marcelo Fraiha, diz que os investimentos nas áreas de lazer do condomínio são cada vez maiores. “Nos preocupamos com o que será oferecido. Os moradores querem condomínios bem equipados em termos de segurança e lazer”.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.