17/02/2009

Seja qual for o material, o importante é o conforto

Fonte: O Estado de S. Paulo

A escolha do tipo de telha deve levar em conta, além de aspectos estéticos, o custo benefício do material

A consolidação das telhas de concreto como uma opção às cerâmicas no mercado paulista, Estado que concentra os fabricantes, complicou a já difícil escolha entre os vários tipos de telha. “O critério deveria ser proteção e conforto, mas a maioria segue padrões estéticos e gosto pessoal”, diz o arquiteto Donni Fernandes. Claudio Oliveira, gerente do projeto Indústria da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), ressalta as vantagens  da versão em concreto,uma tentativa de derrubar mitos em torno do produto. O primeiro deles é o peso. “O metro quadrado de telha de concreto tem 10,4 peças e pesa 47 quilos, próximoà maioria das cerâmicas”, garante Oliveira.

Fotos: DivulgaçãoO modelo de telha azul,em concreto, como o que cobre a Basílica de Aparecida do Norte, custa R$ 54 o metro quadrado

Os modelos seguem o mesmo desenho das de barro,mas são maiores. “Equivalem a três telhas de barro, mas o resultado
plástico será o mesmo”,diz Antonio Bellieni de Souza, proprietário da Lajoteiro, tradicional revenda da cidade de São Paulo. Ele diz que a ideia de que a versão de concreto pesa mais vem desse detalhe. “O pessoal se confunde também com o preço. O mercado cota omilheiro, queno caso do concreto é bem mais caro. Só que cobre uma área muito maior. O correto é cotar o metro quadrado”, ensina.

PADRONIZAÇÃO – A maior vantagem do concreto está no sistema produtivo, totalmente industrializado. “As peças são padronizadas, o encaixe é perfeito e o formato é dado sempre pela mesma forma, portanto é fácil repor peças em caso de quebra”, explica Oliveira. Fernandes concorda que a padronização facilita muito e pode representar redução do custo do telhado. O arquiteto diz que, apesar das cerâmicas brasileiras estar em se profissionalizando e de já existirem normas definidas pela ABNT que garantem a padronização,ainda é tudo muito artesanal. “No Interior a maioria é artesanal e não tem interesse na profissionalização”, conta.

O argumento do arquiteto a favor da cerâmica é justamente a falta de padrão e, especialmente,o conforto que o material oferece. “A cerâmica é o material mais confortável para países quentes como o nosso. A falta de padronização pode ser e é efetivamente usada como valor estético”, diz. Souza dá um exemplo. “A maioria dos clientes que escolhem a telha colonial, modelo de menor aproveitamento e, portanto, mais caro, costuma deixá-las no tempo, para que fiquem com o aspecto das velhas telhas dos casarões do café.”

Segundo Fernandes, existem cerâmicas artesanais que produzem telhas de excelente qualidade. Fernandes diz que telhas de concreto, assim como as feitas de ardósia, são ideais para o clima frio das regiões serranas, como Campos do Jordão. A cerâmica absorve calor, mas emite para o ambiente apenas 10% do que absorve.

Nas telhas de concreto ou pedraesse índice é maior?, explica o arquiteto, para quem materiais orgânicos são mais adequados
ao clima tropical. A inclinação e altura do telhado também ajuda a melhorar o conforto. “Quanto mais alto, mais fresco.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.