23/03/2009

Semana decisiva para a casa própria

Fonte: Jornal da Tarde

Pacote habitacional será divulgado nesta quarta-feira

Esta semana será decisiva para o setor de construção civil no País. A expectativa é que o governo divulgue na quarta-feira o pacote habitacional, que deve beneficiar 4 milhões de brasileiros e financiar 1 milhão de moradias. A data foi confirmada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva ontem em São Paulo.

Mas o governo pode estender de 2010 para 2011 o prazo para atingir a meta de 1 milhão de casas em virtude da burocracia.

Também ontem, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, o secretário-geral da Presidência, Luiz Dulci, e o ministro das Cidades, Márcio Fortes, se reuniram com representantes das centrais sindicais para apresentar o pacote, que deixou as entidades satisfeitas. “O governo se preocupou com todos os pontos para viabilização do projeto, desde taxa de juros até questões ambientais”, disse o secretário-geral da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Canindé Pegado.

Na segunda, as centrais devem se reunir e formatar propostas para enviar ao governo para reforçar o pacote. Uma das principais preocupações dos representantes dos trabalhadores é com o emprego. “Estamos reforçando que o pacote tenha o viés da geração de emprego formal”, afirmou Pegado. A previsão é de abertura de 700 postos diretos e indiretos.

Para o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de São Paulo (Sintracon), Antonio de Sousa Ramalho, que representou a Força Sindical, a expectativa é que cerca de 40 propostas devem ser feitas. “Também acreditamos que a residência deva ter três dormitórios, conforme a necessidade apontada na última pesquisa de moradia popular feita em São Paulo”, disse.

Outra proposta é que o governo leve o projeto a cidades de até 50 mil habitantes e não 100 mil, como está no plano. A prestação para as famílias com renda de até três salários mínimos (R$ 1.395) deve girar em torno de R$ 50, afirmou a ministra Dilma.

Na terça-feira, será a vez do conselho curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, que deve decidir o valor destinado neste ano para a habitação. A expectativa é que parte da verba do pacote venha do fundo, além de recursos do Orçamento e de parcerias para completar o montante necessário para levar o projeto adiante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.