20/10/2008

Setor de construção quer ajuda

Fonte: Jornal da Tarde

O montante será suficiente para que não haja uma queda brusca no número de empreendimentos em 2009

O setor de construção civil estima que necessitará de um socorro da ordem de R$ 3 bilhões a R$ 4 bilhões. Esse montante será suficiente para que não haja uma queda brusca no número de empreendimentos em 2009, segundo explicou o presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Paulo Safady Simão. “Não podemos deixar a peteca cair”, afirmou. Ele acredita que as medidas para o setor prometidas pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, virão na forma de linhas de crédito. “Instrumentos, há muitos”, disse o empresário. “Pode ser linha de crédito do BNDES ou da Caixa, ou pode ser liberação de compulsório.” Ele explicou que hoje 30% dos recursos da caderneta de poupança são recolhidos pelo Banco Central na forma do depósito compulsório. O governo poderia liberar parte desses recursos, direcionando o dinheiro para as construtoras.

Outra possibilidade seria criar mecanismos para que as construtoras descontem recebíveis – ou seja, permitir que elas transformem em dinheiro, agora, os créditos que vão entrar em seu caixa nos próximos meses e anos, decorrentes da venda financiada de imóveis.

Segundo Paulo Simão, muitas empresas começaram a construir na expectativa de conseguir empréstimos para concluir a obra. Como as condições de crédito agora estão mais difíceis, uma solução seria a construtora vender estes papéis para fazer caixa. Ele reconheceu que a crise produzirá efeitos negativos no setor. “Não adianta tapar o sol com a peneira”, disse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.