22/12/2009

Setor de móveis teve isenção de IPI, mas fabricantes querem reajuste de preços

Fonte: O Globo
Fabricantes de painéis de madeira teriam anunciado reajuste de 8,5% (Foto: Divulgação)
Fabricantes de painéis de madeira teriam anunciado reajuste de 8,5% (Foto: Divulgação)

Brasília – O Ministério da Fazenda ameaça suspender parte dos incentivos concedidos ao setor moveleiro no mês passado. Segundo técnicos da área econômica, apesar de o governo ter zerado o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para diversos produtos, os fabricantes de painéis de madeira teriam anunciado que fariam um reajuste de 8,5% em seus preços na virada do ano. A reclamação foi levada ao governo pela Associação Brasileira das Indústrias do Mobiliário (Abimóvel).

“Quando reduzimos o IPI, houve um acordo de cavalheiros para que não houvesse aumentos de preços. Estamos surpresos e podemos voltar atrás suspendendo a desoneração”, disse um técnico do governo.

Segundo o presidente da Abimóvel, José Luiz Fernandez, a associação foi comunicada por diversos fabricantes de móveis que os preços de painéis e chapas de madeira aglomerada (matéria-prima muito utilizada na cadeia) iriam ficar mais altos. Segundo Fernandez, se o reajuste for efetivado, ele praticamente anula o incentivo concedido pelo governo e impede que os preços dos móveis acabados caiam no país.

“Se o reajuste ocorrer, a situação ficará muito ruim do ponto de vista político, pois o governo acaba de conceder uma desoneração do IPI.”

O presidente da Abimóvel disse que as empresas estão tentando negociar que o aumento seja postergado para abril, quando termina o incentivo concedido pelo governo. Outra opção seria fazê-lo em duas parcelas.

Por meio de nota, a Associação Brasileira da Indústria de Painéis de Madeira (Abipa) informou que o segmento sentiu fortemente os efeitos da crise internacional e que, no primeiro trimestre de 2009, as vendas no mercado doméstico caíram 20% e as exportações, 30%.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.