30/10/2006

Sistema simples pode resolver

Fonte: Jornal da Tarde

Cuidados e equipamentos básicos inibem ações criminosas sem invadir privacidade de moradores

Zap o especialista em imóveis

Montar um sistema se segurança eficiente nos edifícios não exige necessariamente equipamentos cinematográficos. “São soluções simples, que devem estar ligadas às reais necessidades”, afirma o gerente de relações humanas da administradora Lello, José Maria Bamonde. Segundo ele, primeiro, cada condomínio deve verificar em assembléia qual é o perfil de moradores e, a partir daí, ver qual o nível de proteção que se pretende instalar.

Na maior parte dos casos, itens básicos e muito conhecidos já inibem boa parte das ações criminosas. Um bom exemplo é o sistema de eclusa – duas fases de portões para pedestres e carros.

“É simples e muito importante.” Sistema de câmeras, botão de pânico e cercas elétricas, em caso de prédios com muros, também são boas soluções. Há ainda as lâmpadas com sensores de presença que podem iluminar a calçada. “E é bom ter sempre um telefone na portaria”, recomenda.

Mais importante ainda é desenvolver o que ele chama de cultura de segurança. “Segurança é prevenção. Não pode deixar faxineiro varrer a calçada com o portão aberto”, exemplifica. Isso vale também para os moradores. “É importante eles entenderem que faz diferença eles fazerem um esforço para irem buscar pessoalmente um garrafão de água.”

Privacidade 

Tratar de segurança em condomínios esbarra numa questão delicada, que é privacidade. Neste sentido, o uso de câmeras e escutas gera polêmicas. “Não dá para colocar uma escuta no elevador e invadir a conversa dos outros”, afirma Gad Adler, dono da administradora Techsys. O mesmo cuidado deve ser tomado com as câmeras. “Elas servem exclusivamente para identificar situações de risco. Se você coloca em qualquer lugar, as pessoas ficam numa prisão”, diz.

Deve-se evitar ainda que elas denunciem demais o movimento no prédio e, assim, sirvam de suporte para os ladrões, em caso de invasão. “Eles podem usar o próprio sistema para tomar controle”, alerta.

Medidas básicas

Cadastro – É importante que os síndicos tenham o cadastro de todos os moradores e veículos do condomínio;

Antecedentes – Ao admitir funcionários, o síndico deve exigir referências e atestados de antecedentes criminais;

Guaritas – As guaritas devem ser construídas recuadas do portão, em posição que permita a visão completa;
Portões – As entradas do prédio devem ser controladas pela portaria e os portões devem, de preferência, ser acionados por mecanismos de controle remoto;

Alarme – É recomendável que seja instalado sistema com botão de pânico, para emergências;

Iluminação – O ideal é que as áreas externas como calçadas e garagens estejam bem iluminadas. Há equipamentos fotossensíveis que são acionados quando detectam presença;

Identificação – Todos os visitantes devem ser anunciados e só deve ser permitida a entrada de prestadores de serviço após identificação;

Entregas – Encomendas devem ser retiradas na portaria.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.