26/11/2006

Sobe padrão na Praia Grande

Fonte: O Estado de S. Paulo

Melhorias na infra-estrutura estimulam investimentos na cidade

Sérgio Castro/AEZap o especialista em imóveisSegurança – Depois que prefeitura instalou câmeras nas praias, turismo e investimento aumentaram

As ofertas mais acessíveis para comprar um imóvel no litoral sul paulista estão na Praia Grande, mas os empreendedores começam a investir em construções de padrão mais elevado na cidade. Na opinião do corretor de imóveis Paulo Rogério Ramos, da Aires Imóveis, isso ocorre porque a prefeitura tem investido em infra-estrutura para o turismo. “Estou aqui há 35 anos e a cidade melhorou muito. O esgoto hoje é tratado, o calçadão está arrumado e há câmeras em toda a orla”, afirma.

Um dos empreendimentos de padrão médio-alto em destaque na cidade é o edifício João Galavoti, na praia Tupi. O prédio possui unidades de três dormitórios e área de lazer completa. As unidades são negociadas a partir de R$ 280 mil. Para quem procura apartamentos menores há o Edifício Max 6, com unidades de um e dois dormitórios, a partir de R$ 88 mil, na praia da Aviação.

Mas, de acordo com Ramos, o que movimenta mesmo o mercado na Praia Grande são os imóveis usados. “É o mais procurado”, afirma. Apartamentos pequenos em prédios baixos, com idade entre 15 e 20 anos, podem ser encontrados por valores bem atraentes. De acordo com o corretor, a média para unidades de um dormitório é de R$ 35 mil. Os apartamentos de dois dormitórios são negociados por R$ 60 mil em média. Os de três podem ser encontrados por R$ 90 mil.

Itanhaém e Mongaguá

Nas cidades de Itanhaém e Mongaguá há poucos lançamentos, segundo informa o proprietário da Paulumar Imóveis e delegado regional do Creci-SP, Paulo Wiazowski. “O mercado de usados é que está forte. Esperamos um crescimento de 30% este ano”, afirma. Segundo ele, a maior procura é por unidades de dois dormitórios que são encontradas na faixa de R$ 80 mil a R$ 90 mil e de três dormitórios, entre R$ 130 mil e R$ 150 mil, em ambas as cidades.

Em Mongaguá, há lançamentos de padrão médio, como o Ilhas Gregas, de frente para o mar, com unidades de dois e três dormitórios, a partir de 80 mil. No centro de Itanhaém há o Vila D”Ouro, com unidades de dois e três dormitórios, de padrão médio-alto, com área de lazer. Os apartamentos custam a partir de R$ 170 mil.

Santos

Em Santos, o número de lançamentos é alto mas, conforme o gerente de Incorporações da Rossi Residencial, Rubens Jr., a aposta é no público morador e não no turístico. “Cerca de 99% do nosso foco é no santista. É uma cidade que tem vida própria”, diz. Portanto, com poucas opções perto do mar.

Peruíbe – A expectativa no litoral sul é que as vendas melhorem em relação ao ano passado. “Fazemos todo um esforço de vendas nesse período. A gente espera que esta temporada seja melhor que a do ano passado, que passou sem grandes vendas”, afirma Mauro Marcondes Pincherle, diretor de operações da construtora Enplan.

A empresa possui dois loteamentos lançados em Peruíbe.

O Residencial Três Marias, com obras de infra-estrutura entregues em julho, já possui casas em construção. O lote padrão tem 275 metros quadrados . Ainda há unidades à venda a partir de R$ 43 mil à vista.

No Bougainvillée IV Resort, haverá um clube com quadras, piscinas, trilhas ecológicas e lotes de 300 a 624 metros quadrados. As obras estão em andamento e o terreno de 300 metros quadrados custa a partir de R$ 65 mil à vista. A construtora financia o pagamento em até cem parcelas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.