14/10/2009

Soluções de marcenaria com movimento mudam a cara de ambientes

Fonte: O Globo

Mais que um recurso para driblar a falta de espaço, a “marcenaria móvel” tornou-se um meio de transformar a cara de um ambiente sem precisar arrastar uma peça de mobília sequer. Com uma mesa corrediça, por exemplo, dependendo da posição e dos acessórios, pode-se compor um escritório ou uma sala de jantar. E ainda torna mais fácil para o morador, quando quiser dar uma festa, abrir espaço para uma pista de dança. Essa foi a ideia do arquiteto Miguel Pinto Guimarães, num projeto executado pela Zoboli Marcenaria. Na sala do apartamento, uma mesa desliza de ponta a ponta do ambiente, presa a um aparador.

“A marcenaria é a ligação da arquitetura com a decoração. Optar por um móvel personalizado sai mais caro do que comprar um pronto, mas em contrapartida, o cliente ganha ao ter suas necessidades atendidas. Em imóveis pequenos, ela permite que todos os espaços sejam aproveitados”, diz o arquiteto, que usou a linha Reflore da Zoboli, de grandes lâminas de madeira de reflorestamento.

A decoradora Lila May Bueno também lançou mão da marcenaria móvel no projeto de um pequeno loft, de 65 metros quadrados. Ela criou uma estante para dividir sala e quarto com um nicho para a televisão que gira 360 graus. Assim, é possível assistir à TV dos dois ambientes.

“Foi preciso recorrer a uma ferragem especial para permitir o movimento sem que os fios se enroscassem”, diz, destacando que o design de interiores está se adaptando às telas LCD. – Em tempos onde ter espaço é luxo, foi um ganho.

NO LUGAR DA ALVENARIA, DIVISÓRIAS DE MADEIRA – Na última edição da Morar Mais por Menos, no Rio, as arquitetas Camila Pagoto e Patrícia Agostini e a designer de produto Gerly Maia aceitaram o desafio de transformar um ambiente de apenas 34 metros quadrados num apartamento para solteiros. A sala ganhou uma mesa de jantar que deslizava ao longo de um trilho preso ao aparador, até ficar embutida sob a bancada da cozinha.

A dupla de arquitetos Paula Neder e Alexandre Monteiro utilizam a técnica como solução multifuncional complementar à obra. Um bom exemplo disso é a parede móvel de um apartamento, que separa sala e cozinha, dando maior amplitude a um ambiente de apenas 20 metros quadrados.

“Em alguns casos, uma parede entre dois cômodos pode ser substituída por uma marcenaria que cumpre, também, dois papéis. Ela pode servir de estante de um lado e como escrivaninha do outro”, destaca Paula.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.