29/01/2010

Titular de roubos a condomínios foi substituído

Em 2009 foram 38 ataques a prédios na capital; SSP diz que mudança é administrativa

Em 2009 foram 38 ataques a prédios na capital (Foto: Divulgação)
Em 2009 foram 38 ataques a prédios na capital (Foto: Divulgação)

Depois de cinco meses na chefia da Delegacia de Roubos a Condomínios, ligada à Divisão de Crimes Contra o Patrimônio do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic), Waldomiro Pompiani Milanesi foi substituído. A publicação foi feita no Diário Oficial do Estado no dia 22. O delegado Ismael Lopes Rodrigues Junior, que pertencia à Delegacia-Geral de Polícia, assumiu o cargo. Ele terá como principal missão reduzir os arrastões a prédios de luxo, um dos crimes que mais aterrorizaram a capital em 2009.

No ano passado, foram 38 ataques a prédios de classe média na capital, segundo apurou a reportagem. No ano anterior, foram registrados sete casos, segundo a polícia. Oficialmente, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) afirma que foram 36 casos – cinco já teriam a autoria esclarecida e, em outros três assaltos, houve prisão em flagrante, normalmente feita pela Polícia Militar na hora do crime. Neste ano, a única ocorrência foi registrada no dia 15, quando uma quadrilha formada por pelo menos 17 bandidos armados invadiu um condomínio na Chácara Klabin, zona sul.

Segundo a secretaria, em relação aos números de todo o Estado, no primeiro semestre do ano passado, 31 roubos a condomínios foram registrados. Nos últimos seis meses houve o registro de outros 20 casos: um total de 51 ataques. Em 2010, dois arrastões foram registrados no litoral norte: em Maresias e em São Sebastião.

Antes da criação da delegacia especializada em investigação a roubo de condomínio não havia um setor especializado para acompanhar tais crimes, que eram encaminhados à 2ª Delegacia de Roubos e Furtos do próprio Deic ou para delegacias da área.

Em agosto do ano passado, o secretário de Segurança Pública, Antonio Ferreira Pinto, chegou a dizer que estava reformulando o Deic: “Se temos um setor especializado em roubos de fiação (luz, telefone), por que não temos um destinado a condomínios?” A declaração foi feita durante um encontro com representantes da entidade AME Jardins, na zona sul.

Procurado para comentar sua saída, o delegado Waldomiro Milanesi não foi localizado. Um dos investigadores da delegacia disse que ele não faz mais parte do Deic. Ismael Rodrigues também não foi encontrado pela reportagem. A secretaria só disse que ele estava participando de um curso na Academia da Polícia Civil e não poderia falar.

Milanesi já havia trabalhado no Deic e também passou pela Delegacia de Operações Policiais da Corregedoria da Polícia Civil.

Rodrigues esteve na Equipe Especial de Homicídios Múltiplos do Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP). Segundo a Secretaria da Segurança, a mudança de delegados atendeu a interesses “meramente administrativos”.

LEIA MAIS:

10 DICAS PARA DEIXAR A SUA CASA MAIS SEGURA ENQUANTO VOCÊ VIAJA

SEGURADORAS DE VIDA VÃO PODER COBRIR IMÓVEIS

QUADRILHAS ORGANIZADAS ATACAM UMA CASA A CADA 3 DIAS EM SP

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.