29/06/2012

Sustentabilidade: contêineres reutilizados se tornam imóveis residenciais e comerciais

Sustentabilidade: contêineres reutilizados se tornam imóveis residenciais e comerciais

Fonte: Revista do ZAP

Visão ecológica ganha adeptos no Rio Grande do Sul e prova que não é necessário deixar de ser inovador para pensar de forma sustentável

A tendência da construção civil é passar a reutilizar materiais, numa visão mais ecológica da engenharia. Incluir uma preocupação ambiental já não é mais diferencial, e sim uma obrigação dessa área. A escolha por materiais alternativos, portanto, demonstra o espírito inovador da SPR, agência de comunicação, branding e design, que resolveu ampliar sem construir e é a primeira agência da América Latina a funcionar num contêiner.

Divulgação / SPRUm dos espaços internos da SPR, a primeira agência da América Latina a utilizar contêineres para ampliar sua sede

Juliano Hennemann, sócio-diretor, explica que a proposta veio de seu pai, Raul Hennemann, arquiteto antenado nas tendências europeias que, inclusive, apresentou um levantamento sobre as empresas que investiram nesse projeto. Conforme foi tomando forma, o projeto assumiu a personalidade da agência. Juliano defende: “A SPR tem como premissa ‘Ousadia para ser memorável’. A proposta do contêiner vem totalmente ao encontro da nossa filosofia”, diz.

Como teve alguns problemas na execução do projeto, ele sugere procurar bem pelo profissional ou empresa que vai organizar a aquisição e alterações necessárias para adaptar o contêiner. “Não se deve deixar de investir, de jeito nenhum, num bom isolante térmico, de preferência lã de vidro. As paredes dos nossos contêineres foram revestidas por MDF, por isso ficaram com emendas. Cobrimos com papéis de parede e o acabamento ficou excelente”, diz Juliano.

O arquiteto Luis Maldaner, responsável pelo projeto de uma casa-contêiner em Campo Bom, explica que, se o projeto primar pelo acabamento, o imóvel fica tal qual uma construção de alvenaria. “Nesse projeto, revestimos as paredes com duas camadas de lã de vidro com alta densidade e cobrimos com gesso acartonado. Também consideramos a ventilação cruzada e incluímos um jardim interno. Tudo isso ajuda a diminuir a temperatura do espaço, de forma que o material do contêiner não se torne fator determinante”, esclarece o profissional.

Divulgação / Luis MaldanerA casa-contêiner, em Campo Bom, projeto do arquiteto Luis Maldaner

A principal vantagem de optar pelo material sustentável, além da óbvia colaboração com o meio ambiente, é a economia de tempo. Embora o valor da adaptação seja equivalente ao da obra de um imóvel de alvenaria, o contêiner pode ser totalmente alterado em até 50% menos tempo do que o necessário para erguer uma construção tradicional. Maldaner explica que a diferença é a especialidade da mão-de-obra envolvida: “São fundamentais, principalmente, dois tipos de profissionais, os metalúrgicos e os especialistas em gesso acartonado.”

Leia mais
>> Projeto transforma contêineres marítimos em escritório de arquitetura
>> Reutilizar contêineres diminui produção de resíduos e pode representar uma redução de até 40% nos custos de uma obra
>> Uso de material sustentável em construções é tendência mundial
>> “Prédio verde” em São Leopoldo (RS) é exemplo de sustentabilidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.