24/09/2006

Taxas prefixadas

Fonte: O Globo

O Governo permitiu que os bancos  deixem de usar a taxa referencial de juros (TR) para corrigir as prestações da casa. Dessa forma, haveria incidência apenas de juros prefixados e o comprador saberia o valor das prestações do início ao fim do financiamento. Hoje, os empréstimos pelo sistema financeiro da habitação (SFH)são corrigidos pela TR … Continue lendo “Taxas prefixadas”

Zap o especialista em imóveis

O Governo permitiu que os bancos  deixem de usar a taxa referencial de juros (TR) para corrigir as prestações da casa. Dessa forma, haveria incidência apenas de juros prefixados e o comprador saberia o valor das prestações do início ao fim do financiamento.

Hoje, os empréstimos pelo sistema financeiro da habitação (SFH)são corrigidos pela TR mais 12% ao ano, no máximo ( o que corresponde a 14,5% anuais, em média).

CRÉDITO CONSIGNADO: O financiamento de imóveis residenciais com desconto em folha de pagamento passa a ser possível para servidores públicos e trabalhadores da iniciativa privada. O mutuário poderá comprometer até 30% do salário nas prestações, que poderão ser fixas ou variáveis. Quem perder o emprego poderá usar parte do valor da rescisão para abater a dívida, cujo teto também está fixado em 30%.

IMPOSTOS: Caiu de 10% para 5% a alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para produtos da construção civil, como chuveiros, sanitários, caixas de descarga e revestimentos de pavimentos.

CEF: A Caixa Econômica Federal ampliará em R$1 bilhão, até o fim deste ano, os recursos disponíveis para uma linha de crédito destinada às construtoras. Mais R$3,5 bilhões serão liberados em 2007. Atualmente, a Caixa só financia até 30% do valor do imóvel, limite que subiu para 85% do custo da obra ou 60% do valor de venda.

MICROEMPRESA: A construção civil poderá passar a fazer parte da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas. O setor será incluído no projeto em tramitação no Congresso e poderá ter redução da carga tributária.

BNDES: Empresas poderão tomar recursos no BNDES para construir imóveis para seus empregados. O prazo varia de acordo com o projeto e será cobrada Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP, hoje em 7,5% ao ano) mais 1% ao ano. Além disso, o BNDES terá linha de R$100 milhões para o setor de construção civil, a ser aplicada em pesquisa e desenvolvimento tecnológico.

PORTAL: O site do Ministério das Cidades (www.cidades.gov.br) concentrará informações financeiras sobre interessados em comprar imóveis. Os dados são sigilosos e as instituições financeiras poderão oferecer aos clientes as melhores condições de pagamento.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.