02/03/2007

Trabalhar em condomínio

Fonte: Jornal da Tarde

Conjuntos de galpões industriais e comerciais, que brotam na Raposo, são boas opções para negócios

Tiago Queiroz/AEZap o especialista em imóveisMario Andreatta, da Imobiliária Lopes Corporate, que ajuda interessados em alugar galpões comerciais na região da Rodovia Raposo Tavares

Quando construídos, eles não costumam levar em consideração os estilos arquitetônicos mais em voga. Estão posicionados em terrenos amplos, muitas vezes afastados dos bairros mais valorizados, à beira de rodovias, e ainda assim custam caro. Procurados por empresas em expansão, os galpões de aluguel formam um mercado à parte na Grande São Paulo.

Superintende da Lopes Corporate, especializada na busca de imóveis para pessoas jurídicas, Mario Andreatta diz que os galpões estão em falta, e o preço pode sofrer alterações significativas dependendo da região em que estiver localizado.

“Galpões destinados a atividades de varejo, como supermercados, concessionárias de automóveis, shoppings, estão quase todos ocupados. Um pequeno aquecimento da economia foi capaz de promover uma demanda maior nos últimos anos, e, hoje, 90% dos locais estão praticamente alugados”, analisa o especialista no ramo.

Os fatores que determinam o valor do aluguel são a proximidade com as principais vias de acesso, tamanho do imóvel e do terreno e a infra-estrutura que já tiver sido construída. Um galpão de 5 mil m2, por exemplo, pode ser alugado por R$ 6 mil mensais em média na região de Santo Amaro e Jurubatuba, na Zona Sul de São Paulo. Com um prédio desse tamanho, é possível construir um mezanino para alojar com conforto o escritório e uma sala de reuniões.

Se o valor estiver acima do desejado, o inquilino pode seguir dicas que ajudam a encontrar um produto mais adequado. “Nas cidades que fazem divisa com a capital e ficam um pouco mais afastadas do Centro, o aluguel de um galpão costuma ser mais barato. E há a vantagem de estar mais próximo de rodovias importantes, como a Dutra e a Castelo Branco”, ensina Cacilda Vieira, diretora da Nascimento Imóveis.

Prazo

Conscientes de que são proprietários de imóveis de grande porte, os donos de galpões não costumam fechar contratos de locação por períodos de tempo muito curtos. “O mais comum são acordos de 36 meses no mínimo. O locador precisa ter a segurança de que o local será ocupado de forma rentável”, destaca Cacilda.

É como se estivesse em um prédio 

Assim como já aconteceu com os escritórios, os galpões também começaram a migrar para os condomínios fechados. Na Zona Leste de São Paulo, no Parque Novo Mundo, existem imóveis disponíveis com segurança particular, acesso monitorado e todas as outras comodidades de um edifício comercial da Capital.

Cacilda Vieira, da Nascimento Imóveis, alerta que o preço do aluguel é maior por um imóvel nessas condições, mas que o investimento pode compensar. “Existe uma segurança muito maior de ter um empreendimento construído com essa finalidade. Pode ser que o preço valha a pena, desde que seja feita uma pesquisa com os imóveis de outras regiões da Cidade”, afirma.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.