30/10/2006

Uma fase próspera para as cidades do interior

Fonte: O Estado de S. Paulo

São Paulo – Ultimamente contemplamos, por meio da mídia em geral, que as cidades do interior passam por um surto de crescimento bastante dinâmico, principalmente em função do desenvolvimento e crescimento sólidos da agroindústria.

Com efeito, é comum assistirmos a documentários e programas televisivos e lermos artigos jornalísticos e matérias que discorrem sobre o forte processo de crescimento do interior.

Observamos que, mesmo alguns locais distantes, vêm se apresentando como pólos de desenvolvimento, em conseqüência da instalação de uma indústria de processamento de soja ou algodão, da uva ou da laranja, ou mesmo outras frutas tipicamente brasileiras do norte e nordeste.

Mas o leitor perguntará: por que escrever aqui sobre a agroindústria, uma vez que o assunto deveria ser o Mercado Imobiliário? Bem, destaquei o crescimento do interior porque acredito que, nesta década, vamos assistir a um grande aumento de pólos do interior do Brasil, com maior ênfase no Estado de São Paulo.

Todos que hoje planejam o incremento econômico de suas empresas refletem sobre a questão do crescimento das cidades, do retorno da procura de mão-de-obra para a lavoura e agroindústria e, na cauda do desenvolvimento, o setor da construção civil já vem despertando para o fato de que tal tendência cria novas necessidades, empregos, serviços, incrementos de comércio, enfim, maior atividade econômica e aumento da riqueza.

Nesse sentido, é preciso oferecer habitação para abrigar os protagonistas do desenvolvimento, ou seja, os cidadãos.É clara a necessidade de atender às novas demandas habitacionais e, dentro dessa visão, surgirão, entre outros produtos, novos loteamentos.

Estou convencido de que assistiremos, nesta década, a uma retomada da implementação de loteamentos nas regiões em expansão, como nunca antes visto. É preciso, contudo, planejar com cautela, visualizando as tendências, os vetores de crescimento sempre subsidiados por análises precisas, fundamentadas em pesquisas e informações isentas e de qualidade, que possam orientar com segurança os empreendedores e investidores públicos e privados.

Este ano, relembro o último artigo de Luiz Antônio Pompéia (meu irmão, idealizador da Embraesp, falecido em 2000). Neste caderno, ele falava sobre “Os Bons Ventos” do mercado imobiliário e, desde o princípio deste milênio, os bons ventos sopram em direção ao interior.

Luiz Paulo Pompéia é diretor da Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.