13/04/2009

Uma odisseia de espaços

Fonte: Jornal da Tarde

Móveis multifuncionais, nichos e portas decorrer otimizam áreas de ambientes pequenos

DivulgaçãoSala de estar projetada por Joi a Bergamo: um armário divide os dois ambientes

Desde a década de 1950, estima-se que os imóveis perderam, em média, cerca de 20 m² de área útil, segundo um projeto de iniciação científica elaborado pelo núcleo de pesquisas do Centro Universitário Belas Artes.

Apesar da recuperação de espaço da cozinha, como ambiente para receber amigos, e do banheiro, como o lugar da casa que permite privacidade, espaços pequenos são recorrentes em empreendimentos para a classe média, analisa Jethero Cardoso de Miranda, coordenador do curso de Design de Interiores da instituição. “Essa recuperação do espaço é relegada a empreendimentos de alto padrão.”

A arquiteta Pamela Ortiz define como ambientes compactos imóveis entre 45 m² e 60 m², que possuem geralmente quartos e salas com 9 m², banheiros com 2,8 m² e cozinha com 5 m². Diante desse cenário, soluções podem aumentar a área dos ambientes em até 30%, estima a arquiteta. Miranda calcula que o ganho de área para circulação atinja até 2 m² por ambiente.

Algumas dessas soluções são práticas e custam pouco. Outras, podem encarecer em até 40% o custo da obra, a exemplo dos móveis feitos sob medida. Mas o custo benefício, dizem os especialistas, vale o investimento.

A designer de interiores Joia Bergamo costuma aproveitar as opções. Uma delas,comenta, ainda é difícil de ser encontrada no mercado brasileiro. São as camas escamoteadas, cujas ferragens são importadas e podem custar R$ 1,7 mil.

“O sistema resolve o maior problema nos quartos: o volume da cama, que só ocupa espaço quando utilizada. Ele também pode dispensar ferragens, com abertura manual, quefica pesada, pois a ferragem possui amortecedores”, explica.

Armários e estantes também costumam ocupar grandes volumes. A solução para eles pode ser a divisão em duas partes, sempre tirando vantagem da altura do pé direito, aproveitando a parte interna com ferragens nos cabideiros e principalmente com nichos. “Em todo espaço que sobra no projeto faço estantes com nichos que, fechados, podem guardar roupas. São um curinga”, diz Joia.

Mas a solução exige cuidados na instalação. “Em paredes prontas de drywall faço um reforço nas próprias chapas. Nos projetados na parede de alvenaria, há diversos níveis de profundidade, que podem ser de até 30 cm, dependendo da espessura da parede, da qual deve guardar uma diferença de ao menos 5 cm.”

Portas de correr também custam mais. Enquanto uma porta padrão sem batente custa em torno de R$ 60, a porta de correr pode chegar a R$ 200.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.