17/04/2007

Valor do condomínio não depende do bairro

Fonte: Editoria Zap

Número de apartamentos, despesas com folha de pagamento e gastos de consumo são decisivos para definir o valor da quota paga pelos moradores

Viver em prédios localizados em bairros nobres da cidade, com toda infra-estrutura e comodidade, não significa gastar mais com condomínio (veja quadro abaixo). Ao contrário do que muitos pensam, a localização tem pouca influência no valor da cota condominial. Fatores como número de apartamentos, despesas com folha de pagamento e gastos com energia, água e gás são decisivos para definir o valor do condomínio.

O número de apartamentos do edifício é um dos principais fatores que define o valor da quota paga pelos moradores. Quanto menos unidades o prédio tiver, maior será o valor do condomínio. Os lançamentos imobiliários mais recentes têm investido em condomínios compostos por duas ou mais torres, o que contribui para a redução da taxa.

Outro aspecto decisivo é o número de funcionários, já que a folha de pagamento, somados salários e encargos, representa em média 50% dos custos de um edifício. O tamanho da área comum reflete nos gastos com energia elétrica, água e gás, que podem representar cerca de 20% dos custos condominiais.

Segundo Angélica Arbex, gerente de relacionamento da Lello Condomínios, o número de contratos de conservação e manutenção também pode pesar na composição do condomínio. “Quanto maior for a necessidade de o prédio manter a conservação de seus elevadores, bombas, piscinas e quadras, maiores serão os gastos dos condôminos, porém na hora de escolher as empresas responsáveis pela manutenção, mais importante que o custo é a segurança e a garantia oferecida.”, afirma.

De acordo com Angélica, os empreendimentos situados em regiões nobres, como Moema e Morumbi na zona sul e Tatuapé e Mooca na zona leste, costumam oferecer uma gama maior de serviços e áreas de lazer, além de mais funcionários e reforço na segurança. “Mas o fato é que há apartamentos de padrão similar num mesmo bairro com taxas de condomínio totalmente diferentes. O que conta é realmente a característica do empreendimento e a gestão racional do condomínio.”, conclui.
 
Médias de quotas condominiais em SP, por região (em R$)

Mooca R$ 386,00
Vila Mariana R$ 400,50
Jardins R$ 638,00
Moema R$ 646,00
Morumbi R$ 618,00
Tatuapé R$ 375,00
Perdizes R$ 471,50
Santana R$ 449,50

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.