07/10/2007

Valorização é tendência na zona norte

Fonte: Jornal da Tarde

Em bairros consolidados como Santana, deve haver melhora de padrão; outros, como Vila Guilherme, vão crescer

Claytom de Souza/AEZap o especialista em imóveisSantana – Predominam lançamentos de quatro dormitórios

Não apenas bairros periféricos da cidade têm atraído investimentos do mercado imobiliário. A cidade inteira. Segundo executivos do ramo, na zona norte, especialmente, a tendência é que as regiões mais distantes cresçam e os bairros com melhor infra-estrutura, como Santana, Freguesia do Ó, fiquem ainda mais valorizados. As regiões em desenvolvimento, como Vila Guilherme, Vila Maria e Carandiru, devem se consolidar.

Prova disso é que tem aumentado o padrão dos empreendimentos lançados em Santana. Desde o ano passado, predominam na região lançamentos de quatro dormitórios. Em 2006, dos nove lançamentos registrados no bairro, seis foram de quatro dormitórios, segundo dados da Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp). A tendência que vem se repetindo este ano. Até agosto, dos cinco lançamentos que o bairro recebeu, quatro são de alto padrão. A média do valor do metro quadrado útil é de R$ 3.376. E a área útil média é de 214 metros quadrados.

E há demanda. Segundo o diretor de unidade de negócios da Lopes Carlos Kapudjian, as vendas têm ocorrido em velocidade surpreendente. O empreendimento Platô Santana, da construtora Cosil, por exemplo, teve 80% das unidades vendidas em duas semanas. “Muito acima da nossa expectativa”, afirma. Já o Breeze Santana, da Even, teve 50% das unidades vendidas em uma semana.

Para o presidente-executivo do Grupo AGM, holding que engloba a construtora Mudar, Augusto Martinez, a zona norte tem todos os pré-requisitos para receber investimentos.

E nas áreas onde já existe boa infra-estrutura como metrô, comércio e empresas, há concentração de demanda reprimida de moradia de melhor padrão, diz Martinez. A empresa lançou recentemente um empreendimento na zona norte que teve 100% das unidades vendidas em dois meses. “Foi uma surpresa, porque nós não fizemos um lançamento explosivo”, diz.

“A zona norte como um todo vem sendo valorizada. Alguns bairros oferecem qualidade de vida superior e os moradores são carentes de projetos modernos, feitos em terrenos maiores”, afirma Eduardo Telles, diretor-comercial da construtora Agra. A empresa lançou recentemente um empreendimento na Vila Guilherme, que teve boa aceitação. “Na microrregião era o único empreendimento grande”, afirma.

Segundo a Embraesp, no ano passado, o bairro foi uma das revelações da zona norte. Recebeu ao todo nove lançamentos, empatando com Santana. A metade foi do segmento de três dormitórios. Este ano, no entanto, apenas um empreendimento foi lançado até agora.

“Enxergo a Vila Guilherme como um bairro em desenvolvimento, muito próximo a shoppings e com boas vias de acesso”. Segundo Telles, quem comprou na região deve ganhar com a valorização no futuro. “As áreas ainda em fase de consolidação representam uma boa oportunidade de negócio e têm uma demanda potencial para fazer apostas”, afirma. Isso ocorre porque ainda há oferta de áreas na região. “Conseguimos adquirir terrenos a um preço viável”, diz.

Freguesia do Ó

A região da Freguesia do Ó é outra que tem atraído investimentos do mercado. Em 2006, o bairro havia apenas recebido dois novos empreendimentos. Este ano, até agosto, já são cinco. O bairro tem uma vocação maior para classe média, mas tem atraído lançamentos de todos os padrões. O preço médio da área útil é mais em conta que em Santana: R$ 2.206.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.